quarta-feira, junho 12, 2024
More
    HomeCotidianoProfessores do AM entram em greve e descumprem decisão judicial

    Professores do AM entram em greve e descumprem decisão judicial

    Publicado em

    spot_img

    Professores da rede pública estadual entrarem em greve na manhã desta quarta-feira (17). Profissionais da educação se reuniram em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para reivindicar 25% de reajuste salarial e outros benefícios. Parte de alunos das escolas públicas do estado ficaram sem aula.

    Durante o protesto, a Sessão Plenária na Aleam foi suspensa e uma comissão do Sinteam entrou no plenário para propor acordo com os deputados.

    A greve, que é liderada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam), acontece em pelo menos 16 municípios do Amazonas. Segundo o Sindicato, a greve é por tempo indeterminado.

    Os professores reivindicam por:

    • 25% de reajuste salarial;
    • ajustes nos valores do vale-alimentação e auxílio-localidade;
    • revisão do Plano de Cargos Carreira e Remuneração; e
    • manutenção do plano de saúde e extensão para os aposentados.

    De acordo com o Sinteam, a data-base 2023 dos trabalhadores da rede estadual venceu no dia 1º de março. A instituição afirma, ainda, que a data-base de 2022 também está atrasada. “Nossas perdas salariais somam aproximadamente 25%. Esse é o percentual que estamos reivindicando”, disse a presidente do sindicato, Ana Cristina Rodrigues.

    A Seduc e o Governo do Amazonas ainda não se manifestaram.

    Decisão contra os professores

    A paralisação acontece mesmo após o desembargador Domingos Chalub, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), decidir na segunda-feira (15), proibir os professores, da Secretaria de Educação do Amazonas (Seduc) de iniciarem a greve.

    O desembargador acatou o pedido do Estado do Amazonas, em ação civil pública e estabeleceu, ainda, multa diária de R$ 30 mil ao Sinteam enquanto durar a paralisação. Além do desconto em folha dos dias em que os profissionais da educação deixarem de trabalhar.

    Na última sexta-feira (12), mais de 2 mil professores, em assembleia geral, aprovaram o início da greve para esta quarta-feira. Na ação civil pública com pedido de concessão de tutela de urgência, o Estado argumentou que o número de professores na assembleia da categoria era “ínfimo” em relação ao universo de mais de 30 mil associados ao sindicato, o que, segundo o autor da ação, tornaria ilegítima a decisão pela greve.

    Desembargador Domingos Chalub. (Foto: TJAM/Divulgação)

    “Assim, entendo que, à luz da ausência de robustez da decisão tomada por assembleia que não contava com sequer 10% (dez por cento) de seus associados, deve ser deferido o pedido de suspensão do indicativo de greve e a determinação para que se abstenha o réu de adotar qualquer medida que resulte na paralisação de serviços públicos ligados à educação.”, escreveu o desembargador na decisão.

    A presidente do Sinteam afirmou, nesta quarta, que a decisão da Justiça é um crime. “O que a Justiça fez conosco a pedido do nosso empregador é um crime. A mesma Justiça que, hoje, marginaliza o ato dos trabalhadores não olha que os trabalhadores lutam para que uma lei seja cumprida. Portanto, o nosso repúdio a esse desembargador”, disse Ana Cristina Rodrigues.

    Últimos Artigos

    Entenda a importância do “vazio sanitário” da soja no Amazonas

    Entre os dias 10 de junho e 10 de setembro de 2024, o cultivo...

    Lotes no ‘Nova Manaus’ custarão R$500; veja como se inscrever

    O Programa de Alienação de Lotes Urbanos Públicos, da Prefeitura de Manaus, oferecerá lotes...

    Casas de aposta online devem ser regularizadas até janeiro

    As empresas de apostas esportivas e jogos online no Brasil terão até o fim...

    Ex-presidente do Caprichoso, Jender Lobato é o novo diretor da Manauscult

    O advogado Jender Lobato foi nomeado pelo prefeito de Manaus, David Almeida, como o...

    Mais artigos como este

    Entenda a importância do “vazio sanitário” da soja no Amazonas

    Entre os dias 10 de junho e 10 de setembro de 2024, o cultivo...

    Lotes no ‘Nova Manaus’ custarão R$500; veja como se inscrever

    O Programa de Alienação de Lotes Urbanos Públicos, da Prefeitura de Manaus, oferecerá lotes...

    Casas de aposta online devem ser regularizadas até janeiro

    As empresas de apostas esportivas e jogos online no Brasil terão até o fim...