terça-feira, maio 28, 2024
More
    HomePoderMaioria da bancada do Amazonas é a favor da PEC da transição

    Maioria da bancada do Amazonas é a favor da PEC da transição

    Publicado em

    spot_img
    Proposta que começa a tramitar pelo Senado prevê R$ 198 bilhões para Lula garantir o atual Auxílio Brasil em R$ 600. Dos senadores, só Plínio Valério é contra.

    O Senado conseguiu o número de assinaturas (28) para começar a tramitação da proposta de emenda à Constituição, a chamada PEC da transição. O projeto prevê recursos de R$ 198 bilhões para pagar o Bolsa-Família, atual Auxílio Brasil, nos quatro próximos anos do governo Lula da Silva (PT). A maioria dos senadores e deputados da bancada do Amazonas é favorável à medida.

    Como a abertura de crédito se aplica ao orçamento de 2023, a PEC da transição tem de ser promulgada ainda neste ano.

    A proposta precisa ser aprovada nas duas casas do Congresso, com o mesmo texto antes de ser promulgada.

    Por isso, nestes primeiros momentos de tramitação, os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG), estão em negociações.

    Por outro lado, esses acordos políticos, para a aprovação da PEC, precisam ser feitos com a base aliada e oposição ao próximo governo.

    Nesse caso, a maioria da bancada do Amazonas, no Congresso, é favorável à PEC da transição.

    No Senado, dois dos três senadores do Amazonas assinaram o requerimento para iniciar a tramitação da PEC – eram necessárias 27 assinaturas.

    Os senadores Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB) deram o aval e dizem que vão votar a favor da proposta.

    Voto contrário

    Somente o senador Plínio Valério (PSDB) não assinou o requerimento e diz que não vota o texto que chegou ao Senado. Só se houver mudanças.

    “Não assinei a PEC que veio. Assinei a do [senador José] Serra, do Tasso [Jereissati] e do Alessandro [Vieira]. Se ficar como veio, voto contra”.

    Questionado sobre o que vai propor para modificar o que ele chama de “PEC fura-teto”, o senador impôs o seguinte: vigência de um ano, dinheiro apenas para o Auxílio Brasil (R$ 50 bilhões) e os R$ 150 para os filhos dos beneficiários.

    A proposta de Lula, contudo, é aprovar cerca de R$ 200 bilhões para pagar os R$ 600 do auxílio e ampliar mais R$ 150 a cada criança de até 6 anos.

    Hora da boa vontade

    Ao defender a PEC, Aziz disse que nos últimos anos Bolsonaro encaminhou ao Congresso pedido de R$ 200 para o auxílio emergencial na pandemia de covid. Depois, subiu para R$ 400 e ficou nos atuais R$ 600, por pressão do Congresso.

    “Concedemos tudo aquilo que o governo Bolsonaro nos pediu, com a maior boa vontade. Agora, não é possível que o governo e sua base aliada não retribua esse gesto feito pelo Congresso”, disse Aziz.

    Em conversa recente com o presidente eleito, o coordenador da bancada amazonense contou que Lula garantiu que fará muito pelas pessoas mais necessitadas e pelo país como um todo, com a aprovação da PEC.

    Diálogo e negociação

    Nas redes sociais, o senador Eduardo Braga contou que subscreveu a PEC apresentada pelo senador Marcelo Castro (MDB-PI).

    No entanto, disse que o texto pode ser aperfeiçoado, “com diálogo e bom senso”, até por uma questão de responsabilidade fiscal.

    “Mas, temos, sem dúvida alguma, de assegurar o pagamento dos R$ 600 mensais do Bolsa-Família. Num país tão desigual quanto o Brasil, a garantia de uma renda básica para os mais vulneráveis precisa ser prioridade”.

    Posição da Câmara

    A PEC da transição vai tramitar primeiramente no Senado e depois na Câmara.

    Mesmo assim, os deputados federais do Amazonas já se manifestaram. E a maioria também é a favor da aprovação dos R$ 600 para a volta do Bolsa-Família.

    O deputado Bosco Saraiva (Solidariedade) disse que aprovar a PEC é necessário para garantia de renda mínima aos pobres.

    Naturalmente, votarei a favor da medida na Câmara dos Deputados”.

    Da mesma tese e apoio corrobora o deputado Átila Lins (PSD). Ele concorda com os R$ 600 e os R$ 150 por filho dos beneficiários.

    Apenas um ano

    Mesmo sendo a favor da PEC, o deputado Silas Câmara (Republicanos) opta pelo prazo de apenas um ano de vigência.

    Segundo avalia, esse é um tempo necessário para não ter efeito de continuidade a um programa que atende milhões de necessitados e que, agora, incluirá crianças até 6 anos de idade.

    “Necessária e urgente para cumprir os compromissos de campanha do presidente avalizados por 60 milhões de brasileiros”.

    Âncora fiscal

    Favorável à aprovação da PEC, que vai distribuir recursos para os programas sociais, merenda e transporte escolar, o deputado Sidney Leite (PSD) disse que é preciso criar uma nova “âncora fiscal”.

    De acordo com ele, o governo precisa manter a previsibilidade e responsabilidade fiscal, mas não pode deixar de atender as necessidades da população mais pobre.

    “No caso do nosso Amazonas, essa política social precisa chegar o quanto antes. Pois, 44,5% da população estão abaixo da linha de pobreza, enfrentando uma inflação em que a carga de gás chega a R$ 160”.

    Portanto, afirmou Leite, vai votar a favor da PEC e trabalhar para ampliar a base de aprovação dos deputados.

    Aumento de salário

    Da mesma forma, o deputado José Ricardo (PT), aliado de primeira hora do governo Lula, acrescenta que os quase R$ 200 bilhões da PEC também vão ajudar no aumento real do salário mínimo.

    Conforme ele, os recursos ajudarão municípios a cobrir certos setores com verbas cortadas por Bolsonaro. Como a saúde, deu por exemplo.

    “Esses recursos fora do teto de gastos pode garantir as ações mais urgentes e atender a população mais necessitada”.

    Já o deputado Delegado Pablo (União Brasil) disse estar à espera de qual texto será aprovado no Senado. Só depois é que vai se manifestar.

    Leia mais:
    Antes do relatório militar, Aziz afirmou: ‘Lula tem zero de preocupação’
    Amazonas emplaca dois na equipe de transição de Lula
    Wapichana é cotada para Ministério dos Povos Indígenas

    Mais informações.

    Últimos Artigos

    Procon-AM orienta sobre pacotes turísticos para o Festival de Parintins

    O 57º Festival de Parintins está se aproximando, acontecendo nos dias 28, 29 e...

    Luminárias de LED do Programa Ilumina+ Amazonas são produzidas na ZFM

    Os produtos têm garantia de cinco anos e contribuem para a geração de cerca...

    PF deflagra operação contra contrabando e lavagem de dinheiro em tabacarias

    Na manhã desta terça-feira (28), policiais federais cumpriram 27 mandados de busca e apreensão...

    Manaus tem primeira pré-candidata não binária à Câmara Municipal

    Álex Sousa, Ativista pelos Direitos Humanos, Lança Pré-Candidatura pelo PSOL O Partido Socialismo e Liberdade...

    Mais artigos como este

    Procon-AM orienta sobre pacotes turísticos para o Festival de Parintins

    O 57º Festival de Parintins está se aproximando, acontecendo nos dias 28, 29 e...

    Luminárias de LED do Programa Ilumina+ Amazonas são produzidas na ZFM

    Os produtos têm garantia de cinco anos e contribuem para a geração de cerca...

    PF deflagra operação contra contrabando e lavagem de dinheiro em tabacarias

    Na manhã desta terça-feira (28), policiais federais cumpriram 27 mandados de busca e apreensão...