domingo, junho 23, 2024
More
    HomeSociedadeBrasilBrasil registra queda de preços pela 1ª vez desde maio de 2020

    Brasil registra queda de preços pela 1ª vez desde maio de 2020

    Publicado em

    spot_img

    O Brasil registrou deflação (queda de preços) de 0,68% em julho, informou nesta terça-feira (9) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O resultado foi puxado pela redução dos combustíveis, especialmente da gasolina e do etanol, e da energia elétrica.

    A taxa é a menor já registrada pelo índice oficial de inflação do país, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), desde o início da série histórica, em janeiro de 1980. A queda vem após uma sequência de altas dos preços.

    A queda de julho é a primeira desde maio de 2020. À época, a baixa havia sido de 0,38%, em um contexto de restrições a atividades econômicas com a chegada da pandemia.

    Analistas consultados pela agência Bloomberg projetavam deflação de 0,65% em julho deste ano. O IPCA havia subido 0,67% em junho. Mesmo com a trégua, o índice de inflação ainda acumula alta de 10,07% em 12 meses, segundo os dados até julho. Nessa base de comparação, o avanço havia sido de 11,89% até o mês anterior.

    O IPCA elevado às vésperas das eleições pressiona o governo Jair Bolsonaro (PL), que teme os efeitos da perda do poder de compra dos brasileiros.

    A inflação é vista por membros da campanha do presidente como principal obstáculo para a reeleição dele. Para tentar reduzir os danos, o Planalto aposta no corte de tributos.

    Em junho, Bolsonaro sancionou projeto que definiu teto para a cobrança de ICMS (imposto estadual) sobre combustíveis, energia, transporte e telecomunicações.

    Um dos reflexos da medida foi a queda dos preços da gasolina nos postos ao longo das últimas semanas. O combustível é o subitem com maior peso na composição do IPCA.

    Com o corte de impostos, analistas vêm reduzindo as projeções para a inflação no acumulado de 2022.

    A estimativa do mercado financeiro recuou para alta de 7,11%, de acordo com a mediana do boletim Focus, divulgado na segunda-feira (8) pelo BC (Banco Central).

    O efeito colateral tem sido o aumento das projeções para 2023. Segundo o Focus, a alta prevista para o próximo ano subiu para 5,36%. De acordo com analistas, a perda de receitas com tributos traz riscos para o quadro fiscal, com possíveis impactos negativos sobre a inflação mais à frente.

    Para tentar conter a carestia, o BC vem subindo os juros, o que desafia a recuperação do consumo das famílias e encarece os investimentos produtivos de empresas.

    O IPCA alcançou os dois dígitos no acumulado de 12 meses em setembro de 2021. O indicador caminha para estourar a meta de inflação perseguida pelo BC pelo segundo ano consecutivo.

    Em 2022, o centro da medida de referência é de 3,50%. O teto é de 5%.

    Disparada na pandemia A inflação voltou a assustar os brasileiros devido a uma combinação de fatores ao longo da pandemia.

    Houve aumentos em preços administrados, como combustíveis e energia elétrica, além de carestia de alimentos e ruptura de cadeias globais de insumos da indústria.

    A pressão inflacionária no Brasil foi intensificada pela desvalorização do real em meio a turbulências na área política.

    No primeiro semestre de 2022, houve o impacto adicional da Guerra da Ucrânia. O conflito pressionou ainda mais o petróleo e parte das commodities agrícolas no mercado internacional. Recentemente, esses produtos deram sinais de trégua com o temor de uma recessão global.

    Leia mais:
    Lima defende esforço conjunto para solução sobre preços de combustíveis

    Mais informações.

    Últimos Artigos

    Estiagem 2024: Amazonas deve decretar emergência em 10 dias

    Diante do baixo nível dos rios já no início da estiagem, o governador do...

    Festival de Parintins tem campanhas contra a exploração sexual

    Canais de denúncias específicos para garantir a preservação da fauna e de jovens e...

    Codam aprova investimento de R$ 698 milhões para o polo industrial

    Estimativa de criação de 991 empregos nos próximos três anos e realocação de 403...

    Festival de Parintins: Caprichoso Completa 95% dos preparativos

    Preparativos avançam na reta final com últimos ajustes Com pouco mais de uma semana para...

    Mais artigos como este

    Estiagem 2024: Amazonas deve decretar emergência em 10 dias

    Diante do baixo nível dos rios já no início da estiagem, o governador do...

    Festival de Parintins tem campanhas contra a exploração sexual

    Canais de denúncias específicos para garantir a preservação da fauna e de jovens e...

    Codam aprova investimento de R$ 698 milhões para o polo industrial

    Estimativa de criação de 991 empregos nos próximos três anos e realocação de 403...