quarta-feira, abril 17, 2024
More
    HomePoderAmazonasRodeio e vaquejada são empecilho para Estatuto dos Animais

    Rodeio e vaquejada são empecilho para Estatuto dos Animais

    Publicado em

    spot_img

    A votação para criar o Estatuto dos Animais e o aumentar a pena para crimes de maus-tratos foi adiada, nesta terça-feira (2), na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A pauta deve voltar na próxima semana, após pedidos de vistas de parlamentares a favor de esportes equestres, como vaquejada e rodeio.

    Considerando a polêmica, o relator da comissão, senador Plínio Valério (PSDB-AM) emitiu parecer favorável ao projeto. Ele deixou claro que os critérios usados para o voto foram referentes aos assuntos estritamente econômicos, já que a CAE é responsável por debater gastos e investimentos.

    Vaquejada é prática comum no nordeste brasileiro (Foto: Renan Leoncio)

    Apesar do parecer favorável, a nota técnica com a análise do relator alertou sobre alguns artigos do texto não serem de simples aplicação. As dificuldades poderiam causar consequências nos sistemas de abate, de transporte e de logística de animais, conforme Plínio Valério.

    A deputada estadual Joana Darc (PP-AM) esteve presente na discussão e acompanha a pauta desde 2015, antes de iniciar a carreira política. “Vim pra pressionar, explicar pros senadores a importância dessa aprovação e também me colocar à disposição para contribuir”, ressaltou a parlamentar.

    ‘Problema para vaquejada’

    O senador Otto Alencar (PSD-BA) foi contra a proposição. Ele disse que o projeto vai impactar, por exemplo, os esportes equestres, que empregam 1,2 milhão de trabalhadores no país.

    “Esse projeto é mais uma tentativa de se criar um problema para a vaquejada. É mais uma tentativa de se criar dificuldade para quem vive do campo e gera emprego. Vou apresentar um voto à matéria pela rejeição”, avisou.

    Sobre o Projeto

    O projeto, de autoria do ex-senador e atual prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella, proíbe ações que causem dor, sofrimento ou lesão moral aos animais. As pessoas e empresas que tenham um animal deverão fornecer alimentação e abrigo adequados para o comportamento natural da espécie.

    Entre os objetivos estão estimular a guarda responsável, combater maus tratos e negligência. Pelo texto, os animais passam a ser tutelados pelo estados e se beneficiam da mesma proteção jurídica conferida ás coisas e pessoas jurídicas. Entre as punições para quem maltratar animais estão previstas advertência, multa de R$ 10 milhões e prisão de até dois anos.
    O Projeto de Lei do Senado (PLS 631/2015) foi protocolado em 2015, tramitou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por dois anos e, somente agora, em 2019, entrou na pauta da CAE. Após aprovação no Senado, o texto deverá ser debatido ainda na Comissão de Meio Ambiente (CMA).

    Últimos Artigos

    Mais de 200 habilitações do projeto CNH Social são entregues

    Até final do segundo ciclo, 80 mil pessoas serão beneficiadas com o projeto que...

    Hemoam reforma e amplia farmácia hospitalar

    Houve também a reestruturação da Central de Abastecimento e implantação de assistência ao hemofílico A...

    Justiça suspende votação de empréstimo pela CMM

    A Justiça do Amazonas proibiu a Câmara Municipal de Manaus (CMM) de votar o...

    Minha Casa Minha Vida: Aumento do subsídio no AM

    O governo federal anunciou melhorias no Programa Minha Casa, Minha Vida para a região...

    Mais artigos como este

    Mais de 200 habilitações do projeto CNH Social são entregues

    Até final do segundo ciclo, 80 mil pessoas serão beneficiadas com o projeto que...

    Hemoam reforma e amplia farmácia hospitalar

    Houve também a reestruturação da Central de Abastecimento e implantação de assistência ao hemofílico A...

    Justiça suspende votação de empréstimo pela CMM

    A Justiça do Amazonas proibiu a Câmara Municipal de Manaus (CMM) de votar o...