segunda-feira, julho 22, 2024
More
    HomeCotidianoSociedadeCâmara terá comissão para discussão da PL do aborto, diz Lira

    Câmara terá comissão para discussão da PL do aborto, diz Lira

    Publicado em

    O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou nesta terça-feira (18) que será criada uma comissão para discutir o projeto de lei que equipara o aborto, após a 22ª semana de gestação, a homicídio. Lira informou, ainda, que a comissão contará com representantes de todos os partidos e que o debate ocorrerá no segundo semestre de 2024, após o recesso parlamentar.

    “Reafirmar a importância do amplo debate. Isso é fundamental para exaurir todas as discussões, para se chegar a um termo que crie, para todos, segurança jurídica, humana, moral e científica sobre qualquer projeto que possa a vir a ser debatido na Câmara”, afirmou Lira. “Nunca fugiremos a essa responsabilidade de fazer o debate e fazê-lo com exatidão e nunca faltar com espírito aberto e democrático para que a sociedade participe”, disse ele à Agência Câmara.

    Críticas ao PL do Aborto

    O adiamento da discussão ocorre após críticas ao teor do projeto, que equipara o aborto a homicídio e sugere uma pena maior para a mulher que realiza o procedimento em comparação a um estuprador. Além disso, os deputados federais aprovaram regime de urgência para a proposta, permitindo votação direta no plenário sem passar por comissões.

    Lira enfatizou que as decisões na Câmara não são tomadas de forma monocrática, mas dentro do colegiado. Em entrevista à imprensa, ao lado de líderes partidários e representantes de bancadas, ele garantiu que o texto final não trará retrocessos ou prejuízos aos direitos das mulheres. “Quero reafirmar que nada nesse projeto retroagirá nos direitos já garantidos e nada irá avançar para trazer qualquer dano às mulheres”, afirmou.

    PL 1904/2024

    O Projeto de Lei 1904/24 propõe equiparar o aborto realizado após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio, aumentando a pena máxima de dez para 20 anos de prisão. O texto fixa 22 semanas como o prazo máximo para abortos legais. Atualmente, a lei permite o procedimento em casos de estupro, risco de vida para a mulher ou anencefalia fetal (quando não há formação do cérebro do feto).

    Segundo a legislação vigente, o aborto é punido com penas que variam de um a três anos de prisão, quando provocado pela gestante; de um a quatro anos, quando realizado por médico ou outra pessoa com o consentimento da gestante; e de três a dez anos, quando realizado sem o consentimento da mulher.

    Se o projeto de lei for aprovado, a pena para as mulheres que abortarem em casos de estupro poderá ser maior do que a dos estupradores, uma vez que a punição para o crime de estupro é de até dez anos de prisão, enquanto as mulheres que realizarem o aborto poderão ser condenadas a até 20 anos de prisão.

    Leia mais:
    Pacheco diz que PL do aborto será tratada com “muita cautela” no Senado

    Entenda a PL1904 que compara aborto legal a um homicídio

    Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

    Últimos Artigos

    Idam capacita agricultores familiares na Compensa

    Governo do Amazonas também entrega documentos importantes durante a ação Governo Presente O Instituto de...

    Sepror Distribui 4,5 toneladas de alimentos

    Famílias da Compensa são beneficiadas com cestas de alimentos A Secretaria de Estado da Produção...

    Estudantes: Fapeam apresenta pesquisas sobre inclusão e alimentação sem glúten

    Projetos científicos são apresentados aos sábados nas comunidades No último sábado (20/7), das 8h às...

    AM é um dos 10 estados com maior redução de mortes violentas

    Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgados na quinta-feira (18), mostram que o...

    Mais artigos como este

    Idam capacita agricultores familiares na Compensa

    Governo do Amazonas também entrega documentos importantes durante a ação Governo Presente O Instituto de...

    Sepror Distribui 4,5 toneladas de alimentos

    Famílias da Compensa são beneficiadas com cestas de alimentos A Secretaria de Estado da Produção...

    Estudantes: Fapeam apresenta pesquisas sobre inclusão e alimentação sem glúten

    Projetos científicos são apresentados aos sábados nas comunidades No último sábado (20/7), das 8h às...