Sai cronograma do pagamento para pescadores do Norte

0
79
O cronograma para pagamento do auxílio para pescadores artesanais de municípios da Região Norte afetados pela estiagem foi liberado.
Foto: Luís Gustavo/Incra Oeste do Pará

Pagamento para trabalhadores artesanais afetados pela seca começará na próxima quarta-feira e levará em conta o número final do CPF

O cronograma para pagamento do auxílio extraordinário para pescadores artesanais de municípios da Região Norte afetados pela estiagem foi liberado.

Conforme divulgou o INSS, os pagamentos começam a ser feitos na próxima quarta-feira.

O crédito da parcela única de R$ 2.640 será realizado na conta bancária do beneficiado e levará em conta o último número do CPF.

Datas

Os cadastros terminados em 0, 1, 2 e 3 recebem na quarta-feira. Os com final 4, 5 e 6, na quinta; e na sexta recebem os pescadores com CPF terminado em 7, 8 e 9.

Quem recebe?

A Medida Provisória 1.192 contempla os pescadores que recebem o seguro-defeso e moram nos estados do Acre, Amazonas, Amapá e Pará, e será devido ainda que o beneficiário seja titular de auxílios assistenciais ou previdenciários.

Tem direito ao auxílio extraordinário quem teve o seguro-defeso concedido no ciclo passado (setembro de 2022) e do ciclo atual, desde que o seguro tenha sido concedido até 1º de novembro.

Confira os municípios atendidos

Acre

Acrelândia
Assis Brasil
Brasiléia
Bujari

Capixaba
Cruzeiro do Sul
Epitaciolândia
Feijó
Jordão
Mâncio Lima
Manoel Urbano
Marechal Thaumaturgo
Plácido de Castro
Porto Acre
Porto Walter
Rio Branco
Rodrigues Alves
Santa Rosa do Purus
Sena Madureira
Senador Guiomard
Tarauacá
Xapuri

Amazonas

Anori
Atalaia do Norte
Autazes
Barcelos
Barreirinha
Benjamin Constant
Beruri
Boa Vista do Ramos
Boca do Acre
Borba
Carauari
Careiro
Careiro da Várzea
Coari
Codajás
Eirunepé
Envira
Fonte Boa
Guajará
Humaitá
Ipixuna
Iranduba
Itacoatiara
Itamarati
Japurá
Juruá
Jutaí
Lábrea
Manacapuru
Manaus
Manicoré
Maraã
Nhamundá
Nova Olinda do Norte
Novo Airão
Novo Aripuanã
Parintins
Rio Preto da Eva
Santa Isabel do Rio Negro
Santo Antônio do Içá
São Paulo de Olivença
São Sebastião do Uatumã
Silves
Tabatinga
Tapauá
Tefé
Uarini
Urucará
Urucurituba

Amapá

Amapá
Tartarugalzinho

Pará

Alenquer
Almeirim
Aveiro
Belterra
Bom Jesus do Tocantins
Curuá
Faro
Itaituba
Jacareacanga
Juruti
Mojuí dos Campos
Monte Alegre
Óbidos
Oriximiná
Pacajá
Porto de Moz
Prainha
Rurópolis
Santarém
Terra Santa

Crise

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), órgão do governo federal, a seca na Amazônia já é considerada a pior dos últimos 43 anos na região.

Desde 1980, a estação menos chuvosa na Amazônia não apresentava índices tão baixos de chuva.