Estoque crítico: maternidade pede doação de leite materno

0
49
O Posto de Coleta de Leite materno na maternidade Dr. Moura Tapajóz, enfrenta uma crise com o menor número de doadoras ativas.
Foto - Artur Barbosa / Semsa

O Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Dr. Moura Tapajóz, em Manaus, enfrentou uma crise com o menor número de doadoras ativas e estoque crítico.

Após o bater recorde de doações em agosto, houve uma queda expressiva nos últimos meses, agravada pela proximidade das festas de fim de ano e férias, períodos já vulneráveis ​​à redução de doações.

A preocupação é garantir o abastecimento dos recém-nascidos na UTI, dependendo do leite materno para sobreviver. A diretora da maternidade, enfermeira Núbia Cruz, destaca a importância das ações, especialmente diante das festividades e do Carnaval, quando as contribuições costumam diminuir.

Foto – Artur Barbosa / Semsa

Dados

Em outubro de 2022, foram doados 34.720 ml de leite, enquanto, neste ano, o número caiu para 16.410 ml. A enfermeira Lílian Aguiar, responsável pelo Cantinho da Amamentação, enfatiza os esforços para facilitar o processo de doação, incluindo a esterilização dos potes nas casas das doadoras.

Como doar?

A coleta domiciliar pode ser agendada via WhatsApp, e as ações podem ser feitas presencialmente na sede da maternidade. Todo leite doado é investigado, pasteurizado e submetido a um rigoroso controle de qualidade.

O Posto de Coleta existe desde 2005, funcionando 24 horas, com apoio às puérperas e orientações sobre amamentação. Lílian Aguiar destaca a simplicidade do ato de doar leite e incentiva a divulgação da informação.

Recomendações

A amamentação é recomendada pelo Ministério da Saúde por pelo menos dois anos, sendo exclusiva até os seis meses, salvando cerca de seis milhões de vidas anualmente, segundo a OMS e Unicef.