Fungos da Amazônia podem combater mosquito da dengue

0
87
Segundo uma pesquisa, existem pelo menos 3 tipos de fungos amazônicos que podem atuar combatendo o mosquito transmissor da dengue.
Fungos da Amazônia podem combater Aedes aegypti, aponta estudo (Foto: Divulgação)

Fungos da Amazônia podem combater as larvas do mosquito Aedes aegypti. É o que informa o estudo realizado por pesquisadores, da Universidade Federal do Acre (UFAC), publicado na revista científica “Brazilian Journal of Biology”. Segundo a pesquisa, existem pelo menos três tipos de fungos amazônicos que podem atuar combatendo o vetor de transmissão dos vírus da dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

De acordo com o coordenador da pesquisa, engenheiro florestal e biólogo Gleison Rafael Mendonça, o uso dos fungos próprios da Amazônia não causará danos ambientais. “Elas foram eficazes em matar 100% das larvas de Aedes aegypti em cerca de três a quatro dias”, afirma.

Considerando ainda as condições climáticas da região, o cientista afirma que não existem produtos específicos para o clima local, portanto “os microrganismos nativos da região amazônica são, obviamente, adaptados às condições locais da região, então priorizar o uso de um produto desenvolvido a partir de estirpes nativas de outras regiões pode impedir a ação eficaz dele por aqui, porque as condições climáticas são diferentes”, diz.

Cenário regional de dengue

A descoberta pode auxiliar a reverter os índices dessas doenças na região, em especial a dengue.

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), até outubro, deste ano, foram notificados 14.427 casos de dengue, com  9 óbitos pela doença.

Casos de dengue no Amazonas
Fonte: FVS-RCP

Os municípios com maiores taxas são:  Jutaí (8.401,4), Tonantins (4.911,2), Ipixuna (4.407,8), Tefé (3.621,9), Humaitá (1.977,4), Guajará (1.919,4), São Paulo de Olivença (1.814,5), Alvarães (1.1634,5). Maraã (1.464,6), Tabatinga (1.284,6).

Cuidados que devem ser adotados

Com a aproximação do período de chuvas, no Amazonas, é preciso redobrar os cuidados para evitar focos de acúmulo de água.

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. FOTO: Fundação Oswaldo Cruz
A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. FOTO: Fundação Oswaldo Cruz

A melhor forma de evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti é identificar os possíveis criadouros, como garrafas, vasos de plantas, pneus, bebedouros de animais, sacos plásticos, lixeiras, tambores e caixas d’água e retirá-los.

A FVS-RCP destaca ainda que, em caso de suspeita de dengue, a pessoa deve procurar a unidade de saúde mais próxima para receber avaliação médica.

Com informações da Gazeta da Amazonia*