Há 14 anos, queda de avião matava 24 em Manacapuru

0
91
A tragédia deste sábado (16), que deixou 14 mortos na queda de um avião Bandeirante da Manaus Aerotáxi, não é o primeiro da empresa no AM.
Foto: reprodução/internet

Tragédia de Barcelos é a segunda maior com voo da empresa no Amazonas e a primeira do país em vítimas desde 2011

A tragédia deste sábado (16), que deixou 14 mortos na queda de um avião Bandeirante da Manaus Aerotáxi, não é o primeiro da empresa no Amazonas, e nem o mais trágico. Há 14 anos, no dia 7 de fevereiro de 2009, uma aeronave do mesmo modelo do atual acidente caía em um rio do município de Manacapuru, a 70 quilômetros de Manaus.

Dos 28 ocupantes do voo, 24 morreram, incluindo piloto e copiloto.

Detalhe fatídico desse acidente é que 20 pessoas vítimas eram de uma mesma família do município de Coari, que fretaram o avião da Manaus Aerotáxi para uma festa na capital.

Conforme notícias da época, também chovia no momento em que o avião caiu de bico nas águas do rio Manacapuru.

Ranking de tragédias

De acordo com o G1/AM, que listou os oito maiores acidentes aéreos em número de vítimas no país, a partir de 2004, o ocorrido em Barcelos é o que teve mais mortos desde 2011. Antes, tragédia em Recife, no dia 13 de julho de 2011, vitimou 16 pessoas.

O acidente com voo da Rico Linhas Aéreas em 14 de maio de 2004, com avião Embraer 120, que deixou saldo de 33 mortos, lidera o ranking no Amazonas.

Da empresa Rico Linhas Aéreas, fazia voo doméstico de São Paulo de Olivença para Manaus via Tefé, quando caiu ao se aproximar do Aeroporto de Manaus.

Leia mais:
Queda de avião: pista estava sem condições de pouso

Com informações do BNC*