Transporte de alimentos é prejudicado por seca no AM

0
107
A vazante (seca) dos rios do Amazonas começou a prejudicar entre outros setores, também o transporte de alimentos no interior do estado.
Moradores carregam produtos no leito seco do rio em Envira (Foto: Defesa Civil/Envira/Divulgação)

A vazante (seca) dos rios do Amazonas começou a prejudicar entre outros setores, também o transporte de alimentos no interior do estado.

Até o momento foram 32 cidades atingidas, segundo a Defesa Civil do Estado. Destas, quatro declararam situação de emergência, 15 estão em estado de alerta e 13 sob atenção.

A estiagem afeta o trabalho de agricultores, o transporte de mercadorias e o escoamento de alimentos, especialmente às comunidades mais isoladas da região Norte do país.

A cidade de Benjamin Constant, na Calha do Alto Solimões, foi o primeiro município a declarar situação de emergência por conta da descida dos rios.

Envira, município em situação de emergência, é um dos exemplos de prejuízo no transporte de alimentos. A seca do Rio Tarauacá, afluente do Rio Juruá, está atrasando o transporte de mercadorias para Feijó (AC), principal fornecedor de alimentos para a cidade do Amazonas.

A viagem para Envira pode durar de oito a nove dias, colocando em risco a qualidade do alimento transportado. O nível do rio no município está em 1,50 metro.

Outro problema ocasionado pela vazante é o aumento no preço dos produtos e as cidades mais isoladas mais uma vez, são as mais prejudicadas.

Leia mais:
Seca causou morte de peixes em igarapé em Iranduba
Cepas bacterianas com potencial probióticos são encontradas em peixes amazônicos

Com informações da Gazeta da Amazônia*