Greve dos professores continua no Amazonas

0
317
A primeira reunião de negociação entre o Governo do Amazonas e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas, terminou sem acordo.
Primeira reunião de negociação com os professores após o início da greve foi realizada nesta quinta-feira, na Assembleia Legislativa (Foto: Aleam/Divulgação)

A primeira reunião de negociação entre o Governo do Amazonas e o Sinteam (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas), terminou sem acordo. Uma proposta de reajuste salarial de 8% foi apresentada pelo representante do governo. No entanto, os professores, que estam em greve desde quarta-feira (17), reivindicavam um reajuste de 25%.

A reunião ocorreu na Aleam (Assembleia Legislativa do Amazonas) e foi mediada pelo presidente da Casa, Roberto Cidade, contando com a presença de treze parlamentares. Além do representante do governo, Sérgio Litaiff Filho, também estavam presentes representantes da Avamseg (Associação dos Servidores Administrativos da Educação).

Segundo a assessoria do Sinteam, a proposta inicial do governo era suspender a greve até a próxima rodada de negociação, sem apresentar uma proposta concreta de reajuste salarial. O sindicato rejeitou essa proposta e decidiu manter a greve em andamento.

Em um segundo momento, Sérgio Litaiff Filho ofereceu à categoria a proposta de 8% de reajuste como um ponto de partida para as negociações. Ele destacou que esse percentual poderia ser melhorado na próxima rodada de negociação, que estava agendada para quinta-feira (24).

No entanto, o Sinteam optou por manter a greve e convocou uma assembleia geral para a próxima segunda-feira (22), onde a contraproposta do governo seria apresentada oficialmente aos professores.

Leia mais:
Professores do AM entram em greve e descumprem decisão judicial
Educação pública vai piorar nos próximos 10 anos, segundo professores
Professores: Prefeitos dizem não ter como pagar novo piso

Com informações da Gazeta da Amazônia*