Dia da reciclagem: Projetos em Manaus aliam renda e sustentabilidade

0
270
Em Manaus, 14 cooperativas de catadores recebem o apoio da Prefeitura. O trabalho resulta em 2,2 toneladas de recicláveis coletados por dia.
No dia da reciclagem, é importante lembrar que o índice de reciclagem no Brasil é de 1,28%, enquanto o país é o 4° maior produtor de lixo do mundo. FOTO: Antônio Pereira /Semcom Manaus

O Dia Internacional da Reciclagem, comemorado no dia 17 de maio, foi instituído organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência, e a Cultura (UNESCO) para conscientizar a população em relação aos benefícios dos 3 Rs: redução, reutilização e reciclagem. A pauta é especialmente importante para a região amazônica, uma vez que a quantidade de lixos em rios e igarapés da região resulta em danos sérios à fauna e flora local, além de causar doenças para seres humanos.

De acordo com dados do World Wide Fund for Nature (WWF), o Brasil é o 4° maior produtor de lixo do mundo, ao mesmo tempo em que é um dos países que menos recicla estes resíduos, com um índice de 1,28%. Ainda assim, a conscientização da população acerca da importância do descarte regular de lixo e reciclagem de materiais é precária no Amazonas.

Com pouca visibilidade pública, os profissionais de coleta e reciclagem de Manaus prestam um importante serviço à sociedade: Evitar que materiais sejam desperdiçados ou descartados de forma irregular em aterros, rios e ruas da cidade. A rede de trabalhadores da área é extensa e inclui catadores, carroceiros, artesãos e gestores de materiais.

Em Manaus, 14 cooperativas de catadores de recicláveis recebem o apoio da Prefeitura. O trabalho resulta em 2,2 toneladas de lixo reciclável coletado por dia. Após a coleta, o material é enviado para um dos 8 galpões mantidos pela Prefeitura para triagem e separação, e então enviados para uma série de projetos de reciclagem ou vendidos, com a receita destinada aos catadores e carroceiros.

Família Cidadã

Um dos projetos que recebem artigos recicláveis das cooperativas manauaras é da Organização de Sociedade Civil (OSC) Centro de Formação Vida Alegre, no bairro da Vila da Prata, zona oeste da cidade. O ‘Família Cidadã’ dedica cursos e oficinas voltadas à sustentabilidade produtiva para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Costura e artesanato utilizando material reciclado estão entre as atividades ensinadas por voluntários do projeto. Os produtos confeccionados pelos alunos podem ser vendidos para gerar renda, ao mesmo tempo em que dão um novo propósito para artigos que seriam descartados por empresas.

O subprojeto ‘Tecendo Vidas’, parte do ‘Família Cidadã’ que foca em atividades de reciclagem de tecidos em parceria com empresas privadas, já beneficiou cerca de 200 famílias da Vila da Prata, São Jorge, Compensa e Santo Antônio. Os artigos produzidos pelo projeto incluem bolsas, carteiras, travesseiros e cobertores.

Gestão de Resíduos

Outro projeto que se destaca é o Programa de Gestão de Resíduos, Educação Ambiental e Geração de Renda, da Fundação Amazônia Sustentável (FAS). O programa atua tanto na conscientização quanto na coleta e reciclagem de resíduos sólidos nos bairros do Tarumã, Redenção, Monte das Oliveiras, Coroado, Jorge Teixeira e Centro

Para a supervisora da iniciativa, Cristine Rescarolli, as duas frentes de atuação possuem valor equivalente. “Os bairros que foram atendidos agora possuem novas maneiras de sensibilizar a comunidade em relação às formas corretas de separar, reutilizar ou descartar o seu resíduo. Há também pessoas capacitadas para explicar como cada cidadão é importante no processo de manter a cidade limpa, sabendo que é obrigação das secretarias a manutenção da limpeza pública, mas também de cada um de nós”.

O projeto firmou parceria com a Prefeitura de Manaus e outras empresas privadas para viabilizar a construção de 5 Pontos de Entrega Voluntária (PEV) em seus bairros de atuação. Os PEVs são os pontos de coleta de lixo reciclável e eletrônico da Prefeitura, onde qualquer cidadão pode entregar seus resíduos reutilizáveis para triagem e separação.

Ainda assim, a maior parte dos resíduos entregues nos PEVs monitorados pela FAS é proveniente de catadores e carroceiros que atuam na cidade e recebem um pagamento da Prefeitura pelo serviço prestado. Por isso, o Programa trabalha também na capacitação de catadores e carroceiros na gestão de resíduos sólidos e educação ambiental.

Preconceito

Apesar do importante serviço ambiental prestado pelos profissionais de coleta seletiva, a discriminação é algo constante. Márcio Vilela, que atua como catador em Manaus há 13 anos, diz que já passou por situações vexatórias devido a sua profissão:

“É quase cotidiano já, eu passar pelas lojas pra pedir permissão pra procurar material nas lixeiras e levarem um susto pensando que eu sou assaltante. Eu falo ‘calma lá, meu amigo, eu não vou pegar nada de ninguém, não’. Às vezes me expulsam, gritam, brigam. Sempre tem, né? Os olhares tortos, os cochichos… Eu só estou fazendo meu trabalho, então nem ligo. Faço o que tenho que fazer com muito orgulho pois sei que estou fazendo bem pro mundo e pra minha família”.

Márcio passou a trabalhar com a Eco Cooperativa, situada no bairro Colônia Terra Nova, há 1 ano. Antes disso, fazia parte do grupo de catadores que atuam de forma autônoma, sem nenhum tipo de associação com uma cooperativa. De acordo com Márcio, os trabalhadores autônomos da área costumam sofrer maior discriminação pela falta de uniforme e associação com órgãos públicos, apesar de prestarem o mesmo serviço. A Prefeitura de Manaus estima que esses profissionais compõem 61% do número total de catadores no município.

Apesar das dificuldades, Márcio conta que a reciclagem foi uma oportunidade de recomeço: “Hoje eu tenho um trabalho bom, honesto, e acima de tudo fazendo uma coisa que faz bem pra saúde do nosso planeta, né? É uma coisa linda, você dar a um material que ia ser jogado fora a chance de se tornar algo novo. Chega a ser engraçado, me apaixonei tanto pela reciclagem que consegui transformar até a minha vida, que tava sendo jogada fora, em algo muito melhor. Hoje, sou muito feliz e devo muito disso ao meu ofício”.

Segundo um estudo do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (USP), os catadores e carroceiros são responsáveis por, em média, 43,5% do volume total de recicláveis dentro dos sistemas de coleta seletiva no Brasil. Para comparação, as prefeituras recolhem 18,7% do total e as empresas, 37,8%.

Pontos de coleta em Manaus

Para qualquer cidadão que tenha interesse em destinar seus artigos recicláveis para reutilização, a Prefeitura de Manaus possui 36 PEVs espalhados por todas as zonas da cidade, mantidos pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

Lá, materiais recicláveis como plástico, papel, vidro e metal são recebidos e separados, assim como lixo eletrônico não reciclável como pilhas e baterias, que posteriormente são destinados a locais de descarte regular desse tipo de resíduo.

Os PEVs funcionam de segunda a sábado, das 7h às 22h, e aos domingos e feriados, das 7h às 18h. Confira a lista completa de PEVs da cidade de Manaus:

1- Empório DB, avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra, zona Oeste
2- Hiper DB, avenida Constantino Nery, Centro, zona Sul
3- Hiper DB, avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra, zona Oeste
4- Hiper DB, avenida Francisco Queiroz, Colônia Santo Antônio, zona Norte
5- Hiper DB, avenida Margarita, Nova Cidade, zona Norte
6- Hiper DB, avenida Mario Ypiranga, Adrianópolis, zona Centro-Sul
7- Hiper DB, avenida Rodrigo Otávio, Japiim, zona Sul
8- Hiper DB, avenida Silves, Crespo, zona Sul
9- PEV Amazônia Sustentável, rua Vicente de Paula, Redenção, zona Centro-Oeste.
10- PEV Mindu, Parque 10, zona Centro-Sul
11- Supermercado Assaí, avenida Autaz Mirim, São José, zona Leste
12- Supermercado Assaí, avenida Efigênio Salles, Aleixo, zona Centro-Sul
13- Supermercado Assaí, avenida Torquato Tapajós, Flores, zona Centro-Sul
14- Supermercado Atack, avenida Cosme Ferreira, Coroado III, zona Leste
15- Supermercado Carrefour, avenida Djalma Batista, Flores, zona Centro-Sul
16- Supermercado Carrefour, avenida Jornalista Umberto Calderaro, Adrianópolis, zona Centro-Sul
17- Supermercado Carrefour, avenida Pedro Teixeira, Ponta Negra, zona Oeste
18- Supermercado Cezar, rua 7B, São José Operário, zona Leste
19- Supermercado DB, avenida Cosme Ferreira, Coroado, zona Leste
20- Supermercado DB, avenida Jornalista Umberto Calderaro, Adrianópolis, zona Centro-Sul
21- Supermercado DB, avenida Pedro Teixeira, Dom Pedro, zona Centro-Oeste
22- Supermercado DB, Campos Elíseos, Redenção, zona Centro-Oeste
23- Supermercado Empório DB, avenida Max Teixeira, Cidade Nova, zona Norte
24- Supermercado Nova Era, avenida Brasil, Santo Antônio, zona Oeste
25- Supermercado Nova Era, avenida Governador José Lindoso, Novo Aleixo, zona Centro-Sul
26- Supermercado Nova Era, avenida Torquato Tapajós, Flores, zona Centro-Sul
27- Supermercado Nova Era, avenida Torquato Tapajós, Santa Etelvina, zona Norte
28- Supermercado Pátio Gourmet, avenida Djalma Batista, São Geraldo, Chapada, zona Centro-Sul
29- Supermercado Pátio Gourmet, avenida Via Láctea, Aleixo, zona Centro-Sul
30- Supermercado Pátio Gourmet, rua Terezinha, Adrianópolis, zona Centro-Sul
31- Supermercado Tribom, Shangrila, Parque 10, zona Centro-Sul
32- Supermercado Veneza, avenida Tancredo Neves, Parque 10, zona Centro-Sul
33- Supermercado Veneza, avenida Torquato Tapajós, Lagoa Azul, zona Norte
34- Supermercado Vitoria, avenida Torquato Tapajós, Flores, zona Centro-Sul
35- Supermercado Yroyak, avenida Coronel Teixeira Ponta Negra, zona Oeste
36- Supermercado Yroyak, avenida Rio Madeira, Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul

Leia mais:
Voluntários darão orientações sobre reciclagem aos turistas em Parintins
Oficina capacita moradores para reciclagem

Com informações da Gazeta da Amazônia*