Wilson Lima: Zona Franca dá resultados positivos para o Brasil

0
156
O governador Wilson Lima reforçou que o modelo Zona Franca de Manaus “tem dado resultados para o Brasil”.
FOTO: Diego Peres / Secom

No 55º aniversário da ZFM, Wilson Lima destacou as movimentações do Governo do Estado a favor do modelo

O governador Wilson Lima reforçou, nesta quinta-feira (24/02), durante a 302ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (CAS/Suframa), que o modelo Zona Franca de Manaus “tem dado resultados para o Brasil”. No evento que marca o 55º aniversário da ZFM, o governador pontuou as movimentações do Governo do Estado para manter a atratividade para empresas realizarem investimentos no estado.

“Esse é um modelo que não pode ser atingido, é um modelo que tem dado resultados para o Brasil, e tem sido uma carga muito pesada para a indústria e também gestores desse modelo”, disse o governador, durante discurso na cerimônia, ocorrida na sede da Suframa.

Ano passado, a indústria instalada em Manaus teve faturamento recorde de R$ 158 bilhões, de acordo com dados da Suframa. Esse montante é equivalente a quase 30 bilhões de dólares e significou um aumento de 31,9% na comparação com 2020.

Wilson Lima destacou a série de movimentações realizadas em favor da ZFM desde o início da gestão, em 2019. Entre elas, a criação de um Comitê de Assuntos Tributários Estratégicos, articulação contra a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e a renovação de incentivos fiscais da Zona Franca até 2032.

“Algumas dessas empresas só têm viabilidade no Amazonas se também tiverem os incentivos fiscais do Governo do Estado. E nós prorrogamos essa lei sem alterar um ponto percentual sequer por mais 11 anos. Isso dá tranquilidade para as empresas que estão aqui, atrai novos investimentos para o estado do Amazonas, que tem se tornado um destino muito cortejado”, afirmou Wilson Lima.

O governador alertou, também, sobre os riscos que uma redução linear de 25% no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) representa à economia do Amazonas. A proposta foi anunciada, esta semana, pelo Ministério da Economia. Antes disso, o governo estadual já vinha se reunindo com lideranças empresariais e políticas para discutir os riscos que o tema representa para o estado.

“A Zona Franca é o principal e mais consolidado modelo de desenvolvimento da região Norte, gerando mais de 100 mil empregos diretos. As empresas não vão ter condições de continuar aqui, serão obrigadas a se mudar para outros estados e outros países”, afirmou.

Pela primeira vez a reunião do CAS foi presidida pela secretária especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Daniella Consentino.

Investimentos e empregos – Nesta edição do CAS, foram aprovados projetos industriais e de serviços, com investimentos de mais de R$ 2,3 bilhões (US$ 435.8 milhões) e geração de cerca de 2.373 empregos.

Esta foi a primeira reunião do Conselho em 2022; e ocorreu em formato híbrido (presencial e virtual). Durante o evento foi lançado, ainda, o projeto turístico “Zona Franca de Portas Abertas”. A iniciativa tem como objetivo oferecer opções de visitas monitoradas às plantas fabris do Polo Industrial de Manaus (PIM). O intuito é, também, apresentar mais uma opção de turismo/lazer técnico e científico, fomentando essa importante atividade econômica, bem como o setor de comércio e serviços.

A reunião do CAS contou com a presença do prefeito de Manaus, David Almeida; o superintendente da Suframa, general Algacir Antonio Polsin; representantes dos governos do Acre, Amapá, Roraima, lideranças de entidades da indústria, comércio e serviços; além de prefeitos de municípios do interior do Amazonas.

Leia mais:
Prefeitura de Atalaia do Norte vai gastar mais de meio milhão com passagens aéreas
Gasto com combustível ultrapassa R$ 2 milhões em Itamarati
Limpeza de aparelhos de ar-condicionado vai custar R$ 2 milhões aos cofres de Maués

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui