Reeducandos de Itacoatiara realizam manutenção em escola

0
178
Reeducandos realizam serviços de limpeza e manutenção no prédio da Escola Estadual (EE) José Carlos Mestrinho.
FOTO: Divulgação/Seap

Serviços na na EE José Carlos Mestrinho estão em curso desde final de outubro e incluem atividades de limpeza e roçagem

Buscando a mudança de vida por meio do trabalho, quatro internos da Unidade Prisional de Itacoatiara (UPI), inseridos no programa de ressocialização Trabalhando a Liberdade, estão, desde o último dia 29 de outubro, realizando serviços de limpeza e manutenção no prédio da Escola Estadual (EE) José Carlos Mestrinho, localizada naquele município, distante a 176 quilômetros de Manaus.

Entre os trabalhos que estão sendo realizados na escola estão os de roçagem, pintura, limpeza e manutenção predial do espaço. Os reeducandos passaram por cursos de capacitação profissional e são aptos a realizar os trabalhos, que geram economia para o estado e novas oportunidades para eles.

As atividades extramuros servem como uma das formas dos internos mostrarem para a sociedade os seus processos de mudança, que começam ainda dentro do sistema prisional amazonense. A previsão é de que os serviços na escola sejam finalizados nesta sexta-feira (05/11), e que outras instituições de ensino públicas do município também sejam beneficiadas com o uso da mão de obra carcerária para serviços de manutenção e limpeza.

O diretor da UPI, Antônio Cordeiro, pontua a importância dos serviços no local. De acordo com ele, os trabalhos realizados na escola proporcionarão um espaço mais organizado para receber os alunos e colaboradores, bem como servirão também como uma oportunidade para que os internos coloquem em prática os conhecimentos obtidos nos cursos ofertados dentro da unidade prisional.

“Os reeducandos do sistema prisional do Amazonas querem mostrar que estão em um grande processo de mudança, e realizar trabalhos como esse que está sendo executado atualmente na escola é uma das melhores formas de expor isso. Nesses serviços, os internos podem colocar em prática o que aprendem na unidade e reforçar ainda mais a ideia de que a vida honesta vale muito mais a pena”, enfatiza.

Remição de pena – Segundo a Lei de Execução Penal (LEP), Lei nº 7.210, ao realizarem esses serviços, os reeducandos participantes também são beneficiados com a oportunidade de remir um dia de suas penas a cada três dias de trabalho executado.

Leia mais:
Reeducandos reformam prédio da Centrab
Reeducandos do Amazonas fazem a prova do Enem
Detentos do Ipat recebem certificado de conclusão do Curso de Barbeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui