Marcado para 4 de novembro leilão do 5G, com inclusão da Amazônia

0
188
O Ministério das Comunicações marcou para a próxima quinta-feira, 4 de novembro, o tão esperado leilão da tecnologia 5G.
Foto: Divulgação/Ministério das Comunicações

O Ministério das Comunicações marcou para a próxima quinta-feira, 4 de novembro, o tão esperado leilão da tecnologia 5G que o governo está chamando de “nova era da conectividade no Brasil”.

Nesta quarta-feira (27), quinze operadoras apresentaram propostas para os lotes disponíveis no certame e no dia 4 de novembro os envelopes serão abertos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“Esse será um marco histórico para o país e a chegada da tecnologia 5G irá revolucionar os setores econômicos. Para se ter uma ideia, a expectativa é que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro aumente R$ 6,5 trilhões nos próximos 15 anos”, disse o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

O diretor do Departamento de Projetos de Infraestrutura de Telecomunicações e Banda Larga do ministério, Marcus Vinícius Galletti, enfatizou os compromissos fixados no edital do leilão do 5G, os quais ampliarão a inclusão digital na Amazônia Legal.

Entre obrigações previstas está a expansão da cobertura 4G em localidades com mais de 600 habitantes e a instalação de fibra ótica nos municípios até 2029.

“O edital prevê também a cobertura com internet em rodovias federais e implantação de rede subfluvial de fibra ótica nos rios da Amazônia”, disse Galletti em recente audiência pública na Câmara do Deputados.

Qualidade e velocidade

De acordo com a pasta, a quinta geração de internet móvel (5G) favorece conexões com qualidade superior a todas as anteriores, com baixa latência (rápido tempo de resposta) e confiabilidade.

Dessa forma, possibilita a utilização de máquinas mais avançadas e a digitalização de processos.

Os impactos reverberam para além do setor de telecomunicações, com potencial de gerar uma revolução em outros segmentos, como na saúde, educação, agropecuária, comércio, serviço ou indústria.

Todas as cadeias produtivas irão passar por uma transformação, diz nota do Ministério das Comunicações.

Segundo Faria, a velocidade rápida, com um tempo de resposta menor, permitirá aumentar a quantidade de dispositivos e máquinas conectadas entre si.

“Na indústria, por exemplo, todo o sistema de produção estará conectado, algo praticamente impossível hoje em dia”.

Crescimento do PIB

De acordo com levantamento divulgado pela Anatel, os segmentos que mais contribuirão para o crescimento do PIB nos próximos anos são: tecnologia da informação e comunicação (R$ 1,3 trilhão); governo (R$ 1 trilhão); manufatura (R$ 1 trilhão); serviços (R$ 868 bilhões); varejo (R$ 502 bilhões); e agricultura (R$ 434 bilhões).

Na avaliação do secretário de Telecomunicações do ministério, Artur Coimbra, a nova geração de internet móvel irá promover uma revolução digital sem precedentes.

“O 5G permite a realização de atividades sensíveis ou críticas, que necessitem que os dados sejam transmitidos quase que em tempo real, como carros autônomos, cirurgias à distância, aplicações de realidade virtual e controle remoto de colheitadeiras e maquinário industrial”.

Deserto digital

Segundo os especialistas, o 5G será capaz de acionar, simultaneamente, aparelhos, máquinas, carros, sistemas, softwares e pessoas.

A tecnologia vai transformar o campo, a indústria, as cidades e beneficiar cerca de 170 milhões de brasileiros.

Mas, o leilão do 5G também é direcionado à abolição do deserto digital, que envolve cerca de 40 milhões que vivem sem qualquer opção de acesso à internet.

O Brasil deve alcançar cerca de R$ 50 bilhões em investimentos nos próximos 20 anos a partir do leilão.

BID financia internet no Norte

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) vai financiar um projeto de infraestrutura de conectividade no país, com enfoque na região Norte.

Em uma reunião entre o ministro Faria e o diretor do BID no Brasil, Morgan Doyle, ficou acertado que será instituído, junto à Anatel, um grupo de trabalho que discutirá os avanços na pauta, acompanhada da estratégia de digitalização já adotada pelo banco.

Faria mostrou ao diretor do BID as ações estruturantes do ministério, voltadas à promoção da inclusão digital nos municípios da Amazônia Legal, como os programas Norte Conectado e Wi-Fi Brasil.

Segundo o ministro, na Amazônia Legal, apenas nos estados da região Norte, estão instalados 30% dos pontos do Wi-Fi Brasil.

São quase 4 mil espaços públicos em 400 municípios, com conexão via satélite – entre os quais escolas, postos de saúde, comunidades ribeirinhas e indígenas.

Em todo o país, são mais de 13,7 mil pontos de conexão espalhados por todo o país.

Fibra ótica pelos rios

Galletti informou que, por meio do programa Norte Conectado, o ministério tem expandido a infraestrutura de comunicações na região com instalação dos cabos de fibra ótica ao longo do leito de rios.

“O investimento de R$ 1,7 bilhão na construção das infovias beneficiará 60 municípios e mais de 2 mil escolas, impactando a vida de 9 milhões de pessoas. Parte do recurso investido será proveniente do leilão do 5G”, disse Galletti ao diretor do BID.

Leia mais:
David Almeida anuncia aumento salarial dos servidores de saúde
Prefeitura assina convênio e garante R$ 400 milhões investimentos
Auxílio Estadual do Governo para 300 mil famílias é aprovado na Aleam

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui