David Reis deve recorrer da decisão para manter obra milionária do ‘puxadinho’ na CMM

0
268
Vereador David Reis (Foto: Divulgação)

Apesar da repercussão negativa sobre o “puxadinho” da Câmara Municipal de Manaus no valor de quase R$ 40 milhões, o presidente da Casa, David Reis (Avante), informou que vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) que suspendeu o procedimento de licitatório.

Em nota, a CMM afirmou que foi notificada oficialmente na segunda-feira(20) e a Procuradoria da Casa iria elaborar uma ação para “assegurar a legalidade das ações perpetradas pela Mesa Diretora”, além de ressaltar que “não vislumbra o fundado receio de dano irreperável”.

Embora o recurso seja disponível e legal para uso da Câmara, na avaliação popular gastar a verba com a construção de um prédio seria imoral por parte dos representantes do povo, uma vez que a atual situação econômica passa por uma crise.

A decisão

Na última sexta-feira(17), o juiz Marcelo Manuel da Costa Vieira concedeu uma medida liminar suspendendo a licitação para contratação de empresa que iria construir o Anexo 2.

“É evidente que a construção de um prédio cujo propósito seja o de acolher 51 vereadores nos próximos 20 anos é, por si só, uma afronta ao ideal de moralidade administrativa no emprego dos recursos públicos sob responsabilidade do gestor”, destacou o magistrado na decisão.

A ação foi impetrada pelos vereadores Rodrigo Guedes (PSC) e Amom Mandel (sem partido) que desde o anúncio da obra, estão se posicionando contrários ao uso do recurso.

Leia mais:
David Reis oficializa licitação para construção de anexo na CMM

Presidente da CMM vai gastar R$ 1 milhão com serviços de tecnologia
Vereadores aprovam PL que proíbe nomeação de condenados pela Lei Maria da Penha

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui