Senado tem 18 pedidos de impeachment contra ministros do STF

0
493
O Senado tem ao menos 18 pedidos de impeachment contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).
Sérgio Lima/Poder360 e 22.mar.2017 Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes

O Senado tem ao menos 18 pedidos de impeachment contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). A contagem já considera a representação que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) enviou na 6ª feira (20.ago.2021) contra Alexandre de Moraes. Desafeto de bolsonaristas, ele é o integrante mais visado da Corte, com 8 pedidos.

Há até mesmo um pedido para retirar, de uma vez só, todos os integrantes do Supremo. Todas as petições que tramitam na Casa são de 2021. Eis a relação dos pedidos contra cada ministro do STF  e os links para os documentos:

  • Edson Fachin – 1 pedido;
  • Cármen Lúcia – 1 pedido;
  • Dias Toffoli – 1 pedido;
  • 10 ministros atuais e o ex-ministro Marco Aurélio Mello – 1 pedido;
  • 8 ministros – 1 pedido.

Os demais ministros da Corte são o atual presidente, Luiz Fux, e Nunes Marques, 1ª indicação de Bolsonaro ao Supremo.

A quantidade de pedidos de impeachment não quer dizer que o processo seguirá. O mais comum é que requerimentos do tipo não prosperem.

Cabe ao presidente do Senado, cargo que neste momento é de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidir se dá ou não seguimento às representações. Questionado sobre a petição de Bolsonaro contra Alexandre de Moraes, o senador disse que não vê fundamentos para o impeachment de qualquer ministro do Supremo.

O presidente anunciou que pediria o impeachment depois que Moraes expediu mandado de prisão preventiva do presidente nacional do PTB e apoiador de Bolsonaro, Roberto Jefferson. Antes, o relator do inquérito das Fake News há havia determinado, em fevereiro, a prisão  do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ).

A investigação das Fake News no STF é citada, por exemplo, no pedido 5 de 2021. “O denunciado se utiliza do inquérito das Fake News como instrumento persecutório de indivíduos que expressam opiniões político-partidárias que divergem das suas”, afirma. O signatário do pedido é o próprio Roberto Jefferson.

O Senado é o órgão que tem o poder para afastar ministros. É também quem aprova ou rejeita indicações para a Corte.

O último ministro sabatinado foi Nunes Marques, indicado por Bolsonaro no ano passado para o lugar de Celso de Mello. Uma vez na Corte, o ministro pode permanecer até completar 75 anos.

Leia mais:
Juíza de Brasília rejeita denúncia contra Lula no caso do sítio de Atibaia
Lula diz estar disposto a conversar com Ciro Gomes sobre eleição de 2022
PT cresce na preferência popular após Lula voltar ao cenário político

Mais informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui