Queiroga diz que Saúde estuda fim de máscara

0
308
Saúde avaliará quando os brasileiros poderão começar a andar sem a necessidade do uso de máscara, numa cobrança pública.
Em comissão na Câmara, ministro da Saúde diz que 'todo mundo sabe que o presidente anda sem máscara' Foto: Agência Câmara

Em audiência pública na Câmara, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado sobre o hábito de Jair Bolsonaro circular sem máscara e não respeitar protocolos de cuidados contra a Covid-19. Queiroga afirmou que o presidente gosta de andar sem máscara, num tom conformado, e que encaminhou dentro da pasta o pedido do presidente para avaliar quando os brasileiros poderão começar a andar sem a necessidade do uso de máscara, numa cobrança pública.

— O presidente está  muito satisfeito com o ritmo da vacinação. Sempre me cobra como está indo. Ele não gosta de máscara. Todo mundo sabe que o presidente anda sem máscara. Ele me perguntou a partir de que momento será possível ficar sem máscara. Temos que fazer um estudo, disse ao presidente. Solicitei ao Departamento de Ciência e Tecnologia para emitir esse parecer. Todos queremos tirar essa máscara, mas dentro de uma situação segura — afirmou Queiroga aos deputados da Comissão de Seguridade Social da Câmara.

O ministro falou de ações em relação ao combate ao vírus e contou que a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do SUS (Conitec) aprovou o protocolo de tratamento hospitalar da Covid. Ele disse que é preciso uniformizar o tratamento hospitalar.

— Os pacientes morrem nos hospitais, isso ocorre com 80% dos que são entubados e ficam com ventilação. Morrem. Precisamos uniformizar esse protocolo — disse, sem citar quais medicamentos, que as medicações também serão alvo de discussão – disse.

Marcelo Queiroga citou números de campanhas publicitárias de vacinação, 27 ao todo, e que o gasto total foi de R$ 330 milhões. Ele afirmou que já foram milhões de inserções em rádios, internet e outras mídias.

Sobre o surgimento no país da variante Delta, durante a Copa América, o ministro afirmou que, graças ao evento, foi detectada essa a nova cepa do coronavírus, a partir de testagens. Queiroga afirmou que  dificilmente essa cepa  seria detectável com trânsito dos sul-americanos nas fronteiras.

Leia mais:
Bolsonaro é internado em hospital militar de Brasília
Fux, Pacheco, Lira e Bolsonaro se reúnem após crises entre poderes
Aleam aprova PL que cria pré-vestibular gratuito para alunos da rede pública

Mais informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui