Preços de medicamentos tem reajuste de até 4,88%

0
749
Preços de medicamentos tem reajuste de até 4,88%
(Foto: Tiago Queiroz / Estadão)

Na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (15), a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) publicou uma resolução em que autoriza o aumento de até 4,88% nos preços dos medicamentos. O reajuste já pode ser praticado imediatamente pelas empresas farmacêuticas.

O reajuste é válido para um universo de mais de 19 mil medicamentos disponíveis no mercado brasileiro. A decisão do aumento foi tomada pelo Comitê Técnico-Executivo da CMED, órgão vinculado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em reunião na última sexta-feira, dia 12 de março.

Por meio da CMED, o Governo Federal controla o reajuste de preços de medicamentos, estabalecendo o aumento máximo que esses produtos podem atingir no mercado brasileiro. O valor dos remédios é reajustado anualmente e a mudança costuma valer a partir do dia 31 de março. O governo não informou por que adiantou em duas semanas o aumento deste ano.

No ano passado, devido ao início da pandemia, o reajuste no preço dos medicamentos foi suspenso por dois meses, passando a valer somente em 31 de maio. Na época, o aumento máximo foi fixado em 5,21%. Neste ano, o aumento de 4,88% ficará um pouco abaixo da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). 

A CMED disponibiliza lista com o preço máximo de cada medicamento. Para consultá-la, clique aqui.

Leia mais:
Deputado cobra ação do Procon contra preços abusivos de remédios no interior
OMS diz que 200 remédios estão em análise para tratar coronavírus
Proposta do Senado proíbe tributação de remédios

Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui