Proteção dos periquitos na avenida Efigênio Salles vira prioridade, em Manaus

0
559
Em 2014, os periquitos foram encontrados mortos no meio-fio da avenida. (Foto: Diego Toledano/G1 AM)

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) reuniu, na quarta-feira (29), os membros do recém-criado Grupo de Trabalho (GT) para discutir medidas e estratégias para proteção dos 12 mil periquitos-de-asa-branca (Brotogeris versicolurus) que revoam na avenida Efigênio Salles, em Manaus.

Em 2014, mais de 200 periquitos foram encontrados mortos por envenenamento. Antes disso, em 2012, telas foram instaladas nas árvores com a justificativa de que os animais estavam prejudicando a copa das palmeiras imperiais do condomínio ao dormirem no local. A estrutura deveria ficar um mês nas árvores, mas continuou sendo usada por mais dois anos.

O GT foi criado como parte da estratégia da Sema de criação de políticas para garantir o bem-estar animal. A situação dos periquitos é uma das prioridades para a pasta.

Em 2014, os periquitos foram encontrados mortos no meio-fio da avenida. (Foto: Diego Toledano/G1 AM)

Os animais passaram a ser mais encontrados na zona urbana da capital a partir de 2011, e nos períodos de novembro a março utilizam as árvores da avenida para dormir. O periquito é uma espécie da várzea e estima-se que 12 mil pássaros passem pelo local.

Os pássaros sobrevoam a área do condomínio Efigênio Salles para depois se acomodarem nas copas das árvores. (Foto: GreenMe)

De acordo com a assessora de Educação Ambiental da Sema, Dayse Campista, o grupo iniciará as atividades com a definição de uma estratégia viável para preservação da espécie. “Buscaremos medidas para diminuir o atropelamento e reverter esse quadro negativo de maneira educativa”, explicou.

Campanha educativa

Entre os encaminhamentos discutidos na reunião estão a promoção de campanha educativa para a conscientização da população, placas para redução de velocidade na avenida, além da manutenção das árvores através de podas frequentes.

Órgãos integrantes 

O grupo de trabalho é coordenado pela Sema e conta com a participação de nove representantes e do Condomínio Efigênio Salles:

Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa), Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Comissão de Meio Ambiente, Recursos Naturais, Sustentabilidade e Vigilância Permanente da Amazônia da Câmara Municipal de Manaus (Commaresv), Wildlife Conservation Society (WCS), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Caama/Aleam), Condomínio Efigênio Salles e Universidade Federal do Amazonas (Ufam).