Governo planeja aeroportos com voos regulares para interior

0
355
Reunião ocorreu na quinta (4) (Foto: Maurílio Rodrigues)

Parcerias e investimentos para que aeroportos do interior do Amazonas recebam voos regulares foram focos de uma reunião do governo, na quinta-feira (4). O Estado planeja ampliar a integração dos municípios pela malha aérea, com foco no desenvolvimento social e econômico.

O encontro reuniu o governador em exercício, Carlos Almeida, e representantes das pastas de Planejamento (Seplancti), Infraestrutura (Seinfra), Turismo (Amazonastur), além da Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) foi realizada na quinta-feira (4).

Segundo Carlos Almeida, o governador Wilson Lima entende que é preciso conciliar a necessidade de melhorar a infraestrutura de aeroportos com o planejamento do Estado para desenvolver novas matrizes econômicas.

Reunião ocorreu na quinta (4) (Foto: Maurílio Rodrigues)

É o caso da reserva de silvinita do Amazonas, uma das maiores do mundo. O levantamento mais atual revela que a reserva no município Autazes pode produzir potássio, fundamental para a agricultura, por 30 anos. De todo potássio que o Brasil consome, 70% é importado.

No turismo, a pesca esportiva é um dos produtos que tem potencial muito maior do que o explorado atualmente pelo Estado. A atividade atrai turistas de outras regiões brasileiras e de outros países. O segmento movimenta cerca de 16 mil turistas por ano, com cada gastando em torno de R$ 6 mil por pacote, de cinco a seis dias.

Recursos

Carlos Almeida afirma que os investimentos em logística para desenvolver as potencialidades naturais do Amazonas devem ser iniciados “assim que possíveis, porque os resultados são sentidos no médio e longo prazos”.

“No caso de aportes maiores de recursos, o faremos quando as finanças do Estado permitirem”, ponderou.

Em muitos casos, o investimento necessário para o aeroporto ser homologado pela agência reguladora do setor, a Anac, é pequeno, e pode ser feito em parceria com as prefeituras, como a construção de muro, serviço permanente de capinação, sinalização vertical da pista de pouso e decolagem, implantação de estação meteorológica e/ou de brigada de incêndio com carro pipa.