Omar Aziz (PSD) diz que rendimento do FGTS é ‘brincadeira de mau gosto’

0
409

Todos os meses, empregadores de todo o Brasil devem repassar à Caixa Econômica 8% do salário bruto de seus trabalhadores, para o formar o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS). Com o passar o tempo, a reserva de dinheiro vira uma espécie de poupança, mas o baixo rendimento é uma “brincadeira de mau gosto”, segundo o senador Omar Aziz (PSD).

O comentário foi feito durante reunião da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) em Brasília, na última semana. Segundo o senador, os juros pagos para recuperar a desvalorização do FGTS são baixos.

E são mesmo. Hoje em dia, o FGTS é corrigido pela Taxa Referencial (TR) – uma taxa mensal criada para servir como referência para a taxa de juros – mais 3% ao ano. A poupança, que leva a fama de um dos piores investimentos, rende TR + 6,17% ao ano.

Em 2017, por exemplo, foi a primeira vez em 10 anos que os rendimentos superaram a inflação. Para Aziz, o assunto deve ser levado para discussão no Senado.

“Se ele [trabalhador] pegasse esse dinheiro e aplicasse em um banco particular, mesmo pagando esses jurinhos de nada, ele teria muito mais lucro depois de 20, 30 anos contribuindo, do que hoje é remunerado pela Caixa Econômica”, comentou.

Para Aziz, o assunto deve ser levado para discussão no Senado. “‘Ah, mas tem que ser subsidiado [pela Caixa Econômica] porque nós estamos dando para fazer casas, e tal’, mas e o trabalhador com isso? Parece até que essas casas são todas para eles. É um recurso que você, trabalhador, coloca nesse fundo, e a sua remuneração no final dos anos que esse fundo passa lá é bem menor que qualquer aplicação que você faz no banco hoje.”