Amazonino deixa governo com dívidas e deputados querem auditoria

0
237

Manaus (AM) –  O governador Amazonino Mendes (PDT) vai deixar para  sucessor, o governador eleito Wilson Lima (PSC), um estado sem capacidade de investimento e no limite prudencial previsto na  Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)  em relação aos gastos com a folha de pagamento.

A situação ocorre  desde 2015 ficando fora do limite apenas no segundo quadrimestre de 2017.

A informação parte de dentro do próprio governo. Nesta sexta-feira (23), o diretor de Contabilidade da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), Luiz Otávio, também alertou para a baixa capacidade de investimento do Estado e disse que o Amazonas pode enfrentar uma crise semelhante a do Rio de Janeiro caso medidas não sejam adotadas.

Em 2016, o Rio enfrentou grave crise econômica que resultou no atraso do pagamento de servidores, escolas e unidades de saúde fechadas, recursos insuficientes para segurança, aumento significativo da criminalidade, entre outros. “O risco é real se nada for feito”, disse.

Auditoria

Para o presidente da Comissão de Finanças da Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM),  Josué Neto (PSD), há necessidade de analisar e enxugar os gastos com a máquina e com a folha de pessoal do Governo do Estado para que, diante de uma dificuldade financeira, o orçamento do Estado não seja comprometido. “Hoje nós atingimos o limite prudencial e não é recomendável trabalhar nesse limite, porque a qualquer problema que haja na economia, que diminua a arrecadação, esse percentual sobe drasticamente”, afirmou.

O deputado explicou que o objetivo não é “fazer uma caça às bruxas” ou “apontar culpados”. “Pode haver algumas situações na folha de pagamento do estado que mereça a auditoria para que a gente possa diminuir os gastos. Não é caça às bruxas, não é inquisição e não é endemonização de qualquer situação, é o sentimento dos técnicos da Sefaz e dos deputados que o encaminhamento vá em direção a uma auditoria da folha”, disse.

“Nesses doze anos que sou deputado eu sempre ouvi sobre a necessidade de realizar a auditoria da folha e isso nunca foi feito, infelizmente. É algo que esta casa pode contribuir como sugestão ao próximo governador”, afirmou Josué Neto.

Da redação com informações da assessoria

Foto: Reprodução/  Youtube

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui