Governo anunciou produto químico contra queimadas na Amazônia

0
83
Foto: Vinícius Mendonça/Ibama

Uma reportagem do Estado de S. Paulo mostrou que o Ibama pretende comprar, em regime de urgência, retardante de chamas para usar em áreas do Pantanal. Segundo o jornal, a aquisição foi orientada pelo ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente).

Em agosto, o Ministério do Meio Ambiente anunciou a utilização da substância contra queimadas em área da Amazônia Legal.

O uso de produto químico retardante de fogo para combater queimadas, como na Chapada dos Veadeiros, já foi adotado antes. A comunidade da Chapada se revoltou contra o uso do material químico.

Bombeiros relatam que o incêndio na Serra do Cipó, em Minas Gerais, também usou retardante contra as chamas.

Procurado, o ministério não se manifestou. O Ibama afirmou que o combate químico é muito usado em outros países, como EUA e Canadá, e que frente a potenciais perdas “prescindir do uso de produtos pouco tóxicos seria ignorar a preponderância dos ganhos versus os riscos”.

Orientação do Ibama

O retardante de chamas requer uma série de cuidados em sua aplicação e deve ser aplicado somente em último caso.

As recomendações constam de uma nota técnica do Ibama, datada de junho de 2018.

Um dos cuidados recomendados pelo texto é a suspensão do “consumo de água, pesca, caça e consumo de frutas e vegetais na região exposta ao produto pelo prazo de 40 dias, considerando que os produtos se degradam em cerca de 80-90% em 28 dias”.

Segundo o parecer técnico, o Fire Limit, que é usado no Brasil, é biodegradável, não é composto por metais pesados e apresenta baixa toxicidade para humanos e determinadas espécies aquáticas.

A nota afirma que deve-se evitar o uso do produto em APAs (Áreas de Preservação Permanente).

O documento também especifica as distâncias mínimas em relação a corpos de água para aplicação do retardante, que vairam de 30 metros a 500 metros.

Leia mais:
Desmatamento da Amazônia supera ritmo de recuperação, diz estudo
Degradação florestal na Amazônia ultrapassa desmatamento, aponta pesquisa
Brasileiros estão preocupados com desmatamento na Amazônia, mostra pesquisa

Com informações da Folha de S.Paulo*

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui