Estudos mostram que 50% dos prefeitos do AM serão reeleitos

0
210
Foto: BNC AMAZONAS

Estudos feitos por líderes políticos do Estado, aos quais o BNC AMAZONAS teve acesso, nas últimas semanas, indicam que aproximadamente 50% dos atuais prefeitos do Estado deverão ser reeleitos este ano.

A tendência é totalmente diferente do que ocorreu nas eleições municipais de 2016.

Naquele ano, menos de 20%, dos 62 prefeitos voltaram ao cargo.

Houve até desistência da disputa, como foi o caso do ex-prefeito de Parintins Alexandre da Carbrás.

Prejudicados pela recessão

Em 2016, os gestores municipais foram fortemente afetados pelo cenário econômico nacional de recessão que fez despencar o repasse de receitas para as prefeituras.

Beneficiados pela pandemia

Nas eleições deste ano, ao contrário, apesar da pandemia, os prefeitos tiveram os cofres empanturrados de recursos da União para o enfrentamento ao coronavírus.

Conforme os números levantados, esse dinheiro fez com que políticos que estavam com baixa tendência de reeleição, até março, melhorassem suas performances no pós-pandemia.

Com o caixa cheio, os prefeitos ampliaram visibilidade junto à população por estarem à frente do combate à pandemia, enquanto seus adversários se mantinham recolhidos em quarentena e sem ambiente para pré-campanha.

Além disso, problemas que pesam na conta dos prefeitos, como ruas esburacadas, por exemplo, foram deslocados do olhar eleitor.

Este, o eleitor, por sua vez, conforme as sondagens, avaliaram seus líderes políticos pela forma como se comportaram na pandemia.

Itacoatiara, Manacapuru e Parintins

Os estudos ainda trazem detalhes diferentes sobre os três maiores colégios eleitorais do interior do Estado, Parintins, Itacoatiara e Manacapuru.

Em Manacapuru, neste momento, o prefeito Beto D’Ângelo enfrenta dificuldade para obter a reeleição.

O município foi o mais castigado pela pandemia no interior do Estado. Lá, disparado, está o maior número de vítimas fatais pelo novo coronavírus, 139 óbitos.

Já em Itacoatiara, a derrota do prefeito Antônio Peixoto (PT) é dada como certa em vários cenários.

Ele enfrenta problema político com o seu vice e com a Câmara Municipal de Itacoatiara.

Em Parintins, Bi Garcia (DEM), segundo os levantamentos, melhorou sua performance com a pandemia e deve obter sua reeleição com tranquilidade, se não houver grandes mudanças no cenário.

Parintins foi a primeira cidade do interior do Amazonas a decretar toque de recolher e mantém a medida até hoje para evitar disseminação do vírus.

Leia mais:
Pesquisa do Instituto Projeta aponta 1º turno indefinido em Manaus

Com informações do Portal BNC*

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui