Advogada explica decreto de prorrogação de suspensão do contrato de trabalho

0
447
(Foto: reprodução)

O decreto do Governo que prorroga por dois meses a suspensão dos contratos de trabalho e por mais um mês a redução de salários e carga horária de funcionários de empresas privadas foi publicado na última terça-feira (14) no Diário Oficial da União (DOU). O texto regulamenta a Lei 14.020/2020, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada na semana passada e que instituiu o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. O programa, que foi proposto pela Medida Provisória 936/2020, autorizou os empregadores a alterar salários e jornada de trabalho durante a pandemia do coronavírus no Brasil. 

Mas, afinal, o que tudo isso significa? O Portal Projeta entrevistou a advogada trabalhista Emily Teles, que explicou o que significam todas estas mudanças. Confira a entrevista na íntegra.

Portal Projeta – O que contempla o novo decreto da suspensão de contrato e redução de salários?
Emily – A Medida Provisória 936, que foi convertida na Lei 14.020/2020, previa o prazo de suspensão de até 60 dias e de redução de salário e jornada por até 90 dias, com a possibilidade de prorrogação por parte do Poder Executivo. Assim, o Decreto 10.422/2020 aumentou o prazo para utilização da medida de suspensão por mais 60 dias e de redução por mais 30 dias. Agora, ambas podem ser utilizadas por até 120 dias. 

Portal Projeta – Quais as mudanças mais significativas?
Emily – Além da prorrogação para os empregados com contrato por tempo indeterminado, também foi prorrogado o benefício para os trabalhadores intermitentes, totalizando igualmente 120 dias. 

Portal Projeta – Em sua opinião, o que levou o Governo a publicar o decreto?
Emily – O programa tem como objetivo a manutenção das empresas e dos postos de trabalho, diminuindo os efeitos da pandemia da Covid-19. Com o decorrer do tempo, inclusive com a finalização do prazo de utilização por muitas empresas, o Governo notou que o período inicialmente previsto não era suficiente, necessitando de ampliação.

Portal Projeta – Com o novo decreto, como ficam os prazos?
Emily –  Não há uma previsão sobre data limite para solicitar o benefício. Com a omissão, imagino ser aplicável enquanto perdurar o estado de calamidade pública (previsto até 31 de dezembro, pelo Decreto Legislativo nº 6/2020). Assim, as empresas que ainda não solicitaram o programa, podem fazer a partir de agora. Já as que utilizaram com os períodos anteriormente estipulados, poderão prorrogar. Em ambos os casos, respeitado o prazo máximo de 120 dias. 

Portal Projeta – Qual e o procedimento para estender o acordo?
Emily – Para estender o acordo as empresas precisam fazer um aditivo do contrato e protocolar junto ao Ministério da Economia, através do E-Social, da mesma forma como procederam com o contrato original. Respeitando também o prazo de comunicação de 10 dias. 

Portal Projeta – A regra vale para todos os trabalhadores?
Emily – As medidas se aplicam a todos os empregados com carteira assinada, inclusive aprendizes, empregados domésticos e trabalhadores intermitentes, que pertencem a iniciativa privada. O programa não ampara empresas públicas ou de economia mista (com participação pública).

Portal Projeta – É possível alterar a suspensão de contrato para redução de jornada?
Emily – Sim, é possível a alternância e também o fracionamento de períodos, contanto que respeitado o prazo máximo de 120 dias.

Portal Projeta – Os trabalhadores terão garantia no emprego?
Emily – A garantia provisória no emprego é proporcional ao tempo de utilização das medidas. Em caso de demissão, a empresa terá que indenizar o trabalhador pelo valor que teria a receber no período.

Leia mais:

CNI lança ferramenta para calcular redução de jornada e salário
MP de Bolsonaro autoriza suspensão de contrato e pagamento de salário
Programa do Governo de estímulo ao emprego já está em vigor

Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui