Vacina contra coronavírus tem resultados positivos em humanos

0
258
Vacina testada incialmente em 8 humanos demonstrou eficácia contra o coronavírus (Foto: reprodução)

Cientistas de todo o mundo estão em uma corrida contra o tempo para tentar encontrar uma vacina capaz de deter o avanço do novo coronavírus. O último balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que há, pelo menos, 118 vacinas contra a Covid-19 sendo desenvolvidas em todo o mundo. Uma delas, da empresa americana de biotecnologia Moderna, obteve resultados positivos, na fase inicial dos ensaios clínicos, aplicadas a um grupo de voluntários.

Segundo a Moderna, a vacina produziu resposta imune em oito pacientes que a receberam. “A fase provisória 1, embora em estágio inicial, demonstra que a vacinação com o mRNA-1273 produz uma resposta imune da mesma magnitude que a provocada por infecção natural”, disse Tal Zaks, diretor médico da Moderna, em comunicado.

A vacinação contra o coronavírus é uma prioridade global para acabar com a pandemia que deixou mais de 315.270 mortes em todo o mundo e pelo menos 4,7 milhões de casos confirmados. Das 118 vacinas em desenvolvimento no mundo, 8 estão em fase clínica (entre elas, a da empresa Moderna) e 110 em fase pré-clínica, de acordo com a OMS. No Brasil, nesta semana, os testes de vacina em animais, feitos pelo Incor, terão início.

Os pacientes testados com a vacina da Moderna receberam três doses diferentes. Uma outra fase, em que mais pessoas serão testadas, começará em julho, segundo a farmacêutica. Para a empresa, essa vacina “tem potencial para prevenir a Covid-19”. O estudo clínico está sendo realizado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, onde o governo americano investiu 500 milhões de dólares neste estudo.

Produção de vacinas

Para se ter uma vacina efetiva contra uma determinada doença, os cientistas precisam percorrer diversas etapas. Entre elas está a pesquisa básica, que é o levantamento do tipo de vacina que pode ser feita. Depois, passam para os testes pré-clínicos, que podem ser in vitro ou em animais, para demonstrar a segurança do produto. E, depois, para os ensaios clínicos, que podem se desdobrar em outras quatro fases:

  • Fase 1: feita em seres humanos, para verificar a segurança da vacina nestes organismos
  • Fase 2: onde se estabelece qual a resposta imunológica do organismo (imunogenicidade)
  • Fase 3: última fase de estudo, para obter o registro sanitário
  • Fase 4: distribuição para a população

Leia mais:
Estudo indica que jogos com torcida só poderão voltar após vacina
Cientistas de Oxford preveem vacina do Covid-19 para setembro
Brasil fica de fora da aliança da OMS para uma vacina contra o coronavírus

*Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta
*Com informações do G1/Bem-estar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui