Assembleia cria campanha após aumento da violência contra a mulher

0
285
Estado registrou um aumento de 20% nos casos de agressão (Foto: reprodução)

Dados da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) apontam um aumento de 20% no número de Boletins de Ocorrência (BOs) com denúncias de violência contra a mulher, nos meses de março e abril, em todo o estado, durante o distanciamento social causado pela pandemia do coronavírus. Os boletins estão sendo documentados pela PC por meio da plataforma da Delegacia Interativa (DI).

O isolamento social intensifica a convivência entre os familiares, o que pode aumentar as tensões. O contexto de apreensão, incertezas e adversidades impostas pela pandemia, além do consumo excessivo de álcool nesse período, colabora para as discussões, que podem desencadear diversas formas de agressão (física, psicológica, sexual, patrimonial e moral). Devido ao isolamento social, muitas mulheres não conseguem fazer as denúncias, o que também gera um número alto de subnotificações.

Preocupada com esse aumento, a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), presidente da Comissão dos Direitos da Mulher e vice-presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), propôs a criação de uma campanha de combate à violência doméstica, familiar e ao feminicídio no Estado.

A ideia foi apresentada pela parlamentar no plenário virtual e sugere usar a força das redes sociais, para alertar a sociedade sobre a importância da denúncia pelo disque 180 ou 190. 

De acordo com Alessandra, ao reafirmar o posicionamento em favor das mulheres e se unir aos órgãos públicos e sem fins lucrativos, na luta pela proteção do público feminino, a Casa Legislativa também pretende mostrar aos agressores o peso das Leis em vigor.  “Essa campanha não é um desejo só meu, mas de todos os parlamentares e membros efetivos da Comissão da Mulher. Nossas mídias sociais têm um público muito grande e tem aumentado ainda mais com as transmissões ao vivo das sessões on-line”, destacou Alessandra à assessoria da Aleam.

Na opinião do presidente da Assembleia, Josué Neto (PRTB), a luta em defesa das mulheres deve ser uma postura de toda sociedade. “Não se admite que, em pleno século 21,  mulheres de todas as classes sociais continuem sendo espancadas, humilhadas e até mortas. A Assembleia Legislativa e todos os colegas deputados repudiam veemente esse tipo de situação”, enfatizou Josué Neto.

Denúncia

Para facilitar o acesso e o entendimento do público sobre a página digital da Delegacia Interativa, a deputada Mayara Pinheiro (PP), enviou Indicativo ao Governo do Estado sugerindo mudanças na página www.delegaciainterativa.am.gov.br. “Eu proponho que acrescente o item ‘violência doméstica’ logo na primeira página, para facilitar o registro da ocorrência por parte das vítimas”, explicou a parlamentar.

Leia mais:
Mulheres podem pedir medidas protetivas por telefone em Manaus
Da violência doméstica ao desemprego, coronavírus é mais cruel com mulheres

Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui