Explicando a diferença entre endemia, surto, epidemia e pandemia

0
283
Em dois meses, novo vírus identificado na China se espalhou por boa parte do mundo.

Após a declaração desta quarta-feira (11) da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a pandemia do Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, muitos questionamentos têm surgido, principalmente em relação aos termos utilizados por estes órgãos de saúde. O Portal Projeta realizou um levantamento com o objetivo de esclarecer as dúvidas de seus leitores. Confira:

A pandemia, em uma escala de gravidade, é o pior dos cenários. Ela acontece quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta. Em 2009, a gripe A (ou gripe suína) também passou de epidemia para pandemia quando a OMS começou a registrar casos nos seis continentes do mundo. A Aids, apesar de estar diminuindo no mundo, também é considerada uma pandemia.

A epidemia se caracteriza quando um surto acontece em diversas regiões. Uma epidemia a nível municipal acontece quando diversos bairros apresentam uma doença. A nível estadual acontece quando diversas cidades têm casos de uma determinada enfermidade e a epidemia nacional acontece quando há casos em diversas regiões do país. Quando o coronavírus surgiu na China, por exemplo, e foi se espalhando pelo país, ele era considerado uma epidemia que, posteriormente, se tornou mundial.

Já o surto acontece quando há o aumento repentino do número de casos de uma doença em uma região específica. Para ser considerado surto, o aumento de casos deve ser maior do que o esperado pelas autoridades. Em algumas cidades, a dengue é tratada como surto, e não como epidemia, pois acontece em regiões específicas (em um bairro, por exemplo).

A endemia não está relacionada a uma questão quantitativa. Uma doença é classificada como endêmica (típica) de uma região quando acontece com muita frequência no local. As doenças endêmicas podem ser sazonais. A febre amarela é considerada uma doença endêmica da região Norte do Brasil.

Coronavírus

Dados atualizados até esta quarta-feira (11), indicavam 118 mil casos do coronavírus, confirmados em 114 países. Do total dessa estimativa, 4.291 mortes foram registradas. Durante coletiva de imprensa, também ontem, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou que “os números de casos de mortes e o número de países afetados devem ser ainda maior nos próximos dias e nas próximas semanas”.

Leia mais:
OMS declara pandemia de coronavírus
Bolsonaro diz que ‘pequena crise’ do coronavírus é ‘muito mais fantasia’
Amazonas realiza simulado para atendimento de caso suspeito do Covid-19
Infectologista explica o que é preciso saber com a chegada do coronavírus ao Brasil

Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui