Conheça o artista: Antônio Bahia a personificação da velha guarda baiana no AM

669
O artista canta samba e axé nas suas interpretações. (Foto: Alailson Santos)

Fernanda Melo, do Portal Projeta – “Me defino como um intérprete, não sou apenas um cantor, eu canto o que me emociona”, assim Antônio Neryvaldo de Souza Costa, 39, mais conhecido hoje na cena musical amazonense como “Antônio Bahia”, se auto intitula dentro do ofício da música. Muitos não sabem, mas o artista nasceu no interior do estado do Pará, em município chamado Rurópolis, em uma comunidade de nome São João Batista. Filho de uma dona de casa e de um ex-soldado da borracha, veio de uma infância humilde, onde morava em uma casa de madeira de chão de terra batido com sua numerosa família e trabalhava na roça para ajudar no sustento do lar.

Bahia performando em um de seus shows na capital amazonense. (Foto: acervo pessoal do artista)

O caçula de nove filhos conta que o contato que tinha com a música vinha de um rádio a pilha que ficava em uma prateleira da casa, onde somente o pai ligava e desligava. Antônio lembra bem das primeiras melodias e cantores que escutava durante a madrugada com o rádio bem baixinho quando todos estavam dormindo. Dentre eles estavam Orlando Silva, Silvio Caldas, Ângela Maria, Elizete Cardoso, Herivelto Martins, e Dalva de Oliveira, pessoas que ficavam somente no imaginário de Antônio.

“A força da música chegou até a mim aos meus oito anos de idade, quando minha avó me apresenta pela primeira vez um rádio toca fitas. Pedi a ela que colocasse uma fita para ouvirmos, então ela escolhe uma da Maria Betânia, interpretando “Mane Fogueteiro”, esse o foi ponto revolucionário em minha vida eu conseguia visualizar toda a história do personagem na minha cabeça, por ser uma música bastante teatral.  Nesse momento entendi que meu ofício era esse, passar emoção para as pessoas tal qual eu senti na música naquele dia”, relembra Antônio.

Trajetória Musical

Hoje reconhecido na cena, o intérprete fala do significado do nome artístico, que vem do amor pela Bahia e por Dorival Caymmi. “Tudo mudou quando eu assumi esse nome, é de uma importância pra mim porque em iourubá, “ba” representa pai “hia” mãe, por conta disso sempre canto com os pés desnudos como uma homenagem. Isso me lembra muito a primeira vez que eu me apresentei sem o nome artístico, em uma feira estudantil me inscrevi de última hora e ganhei o prêmio de segundo lugar. Desde então eu me encorajei a estudar e realmente entender a música”, relatou.

Além da performance cheia de gingado o artista sempre canta descalço. (Foto: Fernanda Melo)

Antônio Bahia destaca que a maior realização da sua carreira desde sua primeira apresentação em Rurópolis, foi quando em 27 de setembro de 2014, ganhou o prêmio de melhor música pelo voto popular, no palco do Teatro Amazonas, onde trabalhou como contrarregras quando veio morar em Manaus, em 1997.

Bahia ao lado de artistas amazonenses e amigos recebendo o prêmio de melhor música. (Foto: acervo pessoal do artista)

Sonho de menino

Quando a criança de oito anos na casa de palafita com teto de palha, teve contato com a televisão pela primeira vez, teve seus ídolos como telespectador e não mais só como ouvinte. Como “Os Trapalhões” e a eternar “Rainha do Baixinhos”, Xuxa Meneghel, com quem teve a oportunidade de trabalhar em 2016 quando trabalhou na assistência de produção do programa da apresentadora.

Antônio Bahia ao lado de Xuxa Meneghel em 2016. (Foto: acervo pessoal do artista)

O palco é político

Como todo artista, Bahia acredita que o palco onde canta é onde ele reproduz seu lugar de fala e também representa seus pensamentos a cerca do país. Entre uma música e outra ele discursa de maneira sempre poética os seus ideais. “O ato de cantar é um ato político, porém o microfone também pode ser uma arma, me preocupo sempre em deixar que minha ideia vire um pensamento para o meu público, uma reflexão. Estamos em um momento delicado em questão de externar opiniões, então procuro sempre me manter coerente no que digo”, informou o paraense.

Entre uma música e outra ele expõe seus ideais. (Foto: Hudson Reis)

Bahia agora não imagina mais que seu público é a plantação da sua família, ele realiza seus shows para pessoas reais, cantando um mistura de axé, samba e mpb. A ascensão do intérprete deu-se no carnaval, no início desse ano, quando ele performou em um evento conhecido como “Sabadin”, desde daí o artista foi ganhando mais visibilidade e espaço na cena musical. Hoje Antônio tem ao todo 16 músicas autorais, que em breve estarão disponíveis para o público.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui