Tradição no Festival Folclórico de Parintins, jurados condenam ‘Black Face’

88
Pai Francisco e Mãe Catirina são representados por pessoas brancas que pintam seus rostos de preto nas apresentações dos bois Garantido e Caprichoso.

Yolanda Bento, do Portal Projeta – O Boi Garantido foi o campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. Com uma diferença de oito décimos, o boi do coração na testa conquistou seu 32º título. A apuração aconteceu na tarde de segunda-feira (01), no auditório do Bumbódromo, em Parintins, onde a comissão julgadora condenou a prática de ‘Black Face’ utilizada pelos bumbás.

Durante a apuração, Maurício Tadeu, presidente da Comissão dos Jurados, leu uma carta aberta em nome de todos os jurados. Nela, eles enalteceram o Festival e a acolhida de Parintins, mas condenaram a prática em que o Pai Francisco e a Mãe Catirina pintam seus rostos de preto, o chamado Black Face.

“Nesse Festival tudo extravasa, sem demagogia. Agradecemos a colaboração de todos. A comissão saúda os bois pela beleza e grandiosidade deste que é um dos mais belos festivais do mundo. O evento dá um passo à frente contra a injustiça e pelos direitos humanos. Somos contra o Black Face de pessoas que se pintam de negros, no caso de Caritina e Pai Francisco. São tratados de forma caricata e limpando lixo”, comentou o jurado.

Na história, Pai Francisco e Mãe Catirina são um casal de escravos que trabalhavam em uma fazenda. Catirina, quando grávida, teve o desejo de comer a língua do boi mais bonito do patrão, o Amo do Boi. Então, Pai Francisco, a fim de satisfazer o desejo de sua mulher, mata o boi. Esta é a narrativa que dá vida ao festival bumba-meu-boi.

Mas, no Festival de Parintins, eles são tradicionalmente representados por pessoas brancas pintadas de preto. Fato que não passou despercebido pelos jurados deste ano.

“O black face é a reprodução de esteriótipos racistas. Quando colocamos pessoas que não são negras para representar negros e os pintamos de preto, estamos sendo desrespeitosos com a raça. Se os índios são representados por pessoas com traços indígenas e os brancos são representados por brancos na festa, nada mais justo que Catirina e Pai Francisco sejam representados por pessoas negras. No século passado black face era usado para ridiculizar os negros”, criticaram os jurados.

A comissão avaliadora pediu que os dois bois repensem a prática nas próximas edições do Festival. Os avaliadores possuem qualificações de mestrado, doutorado e pós-doutorado nas áreas que envolvem os blocos comum/musical, cênico/coreográfico e artístico.

✓  Leia também:

Garantido campeão

Com o tema “Nós, O Povo!”, o boi da Baixa do São José somou 1.258,4 pontos contra 1.257,6 do Boi Caprichoso, que teve “Um Canto de Esperança para Mátria Brasilis” como tema. Garantido venceu a segunda e terceira noite do Festival. A primeira noite acabou empatada.

1ª Noite: Garantido e Caprichoso empatados com 419,2 pontos

2ª Noite: Garantido venceu com 419,6 contra 419,0 do Caprichoso

3ª Noite: Garantido venceu com 419,6 contra 419,4 do Caprichoso.

O boi Garantido e o apresentador, Israel Paulain, no meio da galera na primeira noite do Festival. (Foto: Divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui