Festival Florear: um passeio no futuro da música autoral amazonense

0
98

Yolanda Bento, do Portal Projeta – À procura de oportunidades e aperfeiçoamento, quatro bandas manauaras colocaram seus sonhos em malas e foram para São Paulo. Lá, plantaram suas sementes, regaram suas raízes e floresceram. As bandas EmTerraSoular, Santaella, Vibe Positiva e Victor Xamã retornam à cidade natal e mostram suas flores no palco do Festival Florear.

Chame como quiser, mas aquele tipo de coincidência que só o destino é capaz de criar permitiu que as quatro bandas estivessem, ao mesmo tempo, com todos os seus integrantes no dia 13 de julho, às 20h no Atlético Rio Negro Clube, em Manaus. Foi daí que surgiu a ideia do Festival, conta um dos organizadores do evento, Jaime Sebben.

“A gente decidiu fazer o Festival pra mostrar um pouco do trabalho dessas bandas que saíram daqui de Manaus e estão em São Paulo tentando se aperfeiçoar, tentando crescer e etc. E aí como tá todo mundo aqui em Manaus, a gente pensou em fazer o Festival pra mostrar um pouco do trabalho de todo mundo”, explica.

Para fortalecer a cena local e a pluralidade, a noite vai ser regada com a música do regional psicodélico do EmTerraSoular, a Grooveria Pop de Santaella, o Reggae Rock da Vibe Positiva e o Rap manauara de Victor Xamã. 

✓  Leia também:

A intenção do Festival é criar um espaço de conexão e celebração para plantar sementes “de amor por meio da música, para que as flores que venham a nascer sejam de paz”. Bonito, né? 

Se você tá afim de florescer no meio de tanta gente (e música) boa e nossa é só comprar o ingresso, por esse link aqui. Também rola adquirir ingressos ons pontos de venda: Açaizeiro Vieiralves, na Av. João Valério, Vieiralves e também no espaço cultural Curupira Mãe do Mato, localizado na Av. Sete de Setembro, Centro.

Festival EcoFriendly

O projeto, mostrando todo o seu respeito para com a mãe natureza, quer diminuir a produção de lixo e para isso fez uma parceria com a Casa Vhida, associação de apoio à criança com HIV. “A gente vai vender copos reutilizáveis que vão ser confeccionados pela Casa Vhida e 50% do valor arrecadado vai ser direcionado para a associação”, explica Jaime.

Além de banir o plástico, o Festival também vai receber doações de alimentos não perecíveis. No dia do evento, o ingresso será vendido a R$ 20, ao levar 1 kg de qualquer alimento não perecível o espectador ganha um desconto de R$ 5 reais. “A banda e os produtores depois vão levar os alimentos e o dinheiro dos copos até a Casa Vhida e passar uma tarde lá”, diz Jaime.

EmTerraSoular

Sentado nas raízes de uma árvore, com o tambor em mãos e os pés no chão, Nando Montenegro honra a natureza se tornando parte do Todo.

Ao usar as folhas como batuque, Montenegro compartilha o som do EmTerraSoular, que tem como inspiração a música amazônica.

Poeta, músico latino-amazonense e tantos outros nomes que deram a ele e “de que nomes não passam”, Montenegro diz que o projeto é a manifestação por meio da música de quem abraça o caminho da consciência e compreensão dos fluxos vivos dos Cosmos.

O projeto começou a ser desenvolvido no final de 2016 e tem influência de artistas como Lenine, Milton Nascimento, Elis Regina, Caetano Veloso e 5 a Seco.

Santaella 

“Se o meu plano te incomodar
Me atormenta, pra que eu consiga notar
As impurezas dessa confusão
Que ultimamente, tem brincado com a gente” 

Essas são as letras da música ‘Hemisfério Hostil’ de Santaella, que aos 9 anos começou a se aventurar pelo mundo da música. No começo deste ano, participou do talent show The Four Brasil, transmitido pela Record, e impressionou o Brasil com seu talento.

Misturando covers e músicas autorais, Santaella surpreende com a desenvoltura que esconde por trás do sorriso tímido. No palco, o cantor e compositor toma posse do que sempre foi dele: o poder de emocionar o outro por meio da música. (Quando assisti ao último show que ele fez aqui em Manaus, os arrepios foram vários e saí, admito, surpresa com a voz do moço.)

Vibe Positiva

Grupo de músicos e amigos que espontaneamente se uniram pra fazer o que mais gostam e estão juntos contagiando seu público com apresentações e músicas marcantes, passando a ideia certa sobre realidade e ficção de uma forma diferenciada e envolvente, com muito Reggae amazonense.

Com músicas divertidas como ‘Fígado de Pato’, a banda brinca com as palavras e também coloca o público em um espaço confortável para a reflexão sobre o que há de mais simples na vida, característica típica do Reggae, estilo que já rende bons frutos na capital amazonense. Vibe Positiva representa uma nova geração disposta a continuar o trabalho.

Victor Xamã

“De dúvidas o meu quarto alaga
Eu chorei nas margens do rio negro
Os livros me respondem o que eu pergunto
Mas não matam a saudade daquele aconchegante bar”

Foi com letras como a da música ‘Eu chorei nas margens do Rio Negro’ que Victor Xamã, rapper manauara, conquistou seu espaço na cena manauara e brasileira, sendo um dos grandes expoentes do Rap no Norte do país.

Prova disso é que em junho deste ano ele foi convidado para abrir o show de Baco Exu do Blues, em São Paulo. Seus shows são marcados pelo envolvimento do público, a energia que usa em sua voz quando desenvolve sua lírica e também pelas parcerias significativas de seus amigos da Qua$imorto ou do rapper Ian Lecter em alguns de seus shows.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui