Exposição ‘Olhar Que Te Olha’ traz reflexão sobre beleza e diversidade

0
123
A exposição “Olhar que te olha” da fotógrafa Dani Cruz, foi inaugurada dia 16 de junho, no viaduto Miguel Arraes. (Foto: Michell Melo)

Yolanda Bento, do Portal Projeta – São 200 olhares que te encaram ao passar pela esquina da Av. Darcy Vargas com a Maceió. Eternizados no Viaduto Miguel Arraes, os rostos anônimos de diversos moradores de Manaus foram fotografados pela Dani Cruz, criadora do projeto “Olhar Que Te Olha”, que tem como objetivo gerar uma reflexão sobre a beleza e diversidade, além de estimular o olhar para o outro.

(Foto: Michell Melo)

“Minha exposição trata do olhar. De olhar os outros nos olhos e tentar enxergar aquele que tá ali do outro lado, aquele que te olha. Então, o nome da exposição é Olhar Que Te Olha. Quem é essa pessoa por trás? O que ela sonha? Do que ela tem medo? O que ela sente? Como tá a vida dela agora?”, explica a fotógrafa Dani Cruz.

Os transeuntes também podem participar da exposição escrevendo frases e pensamentos nas paredes do Viaduto.

(Foto: Michell Melo)

O projeto nasceu em 2016, exposto pela primeira vez na Galeria do Largo. A ideia surgiu quando uma amiga de Dani a convidou para fazer a exposição fotográfica do lançamento de seu livro.

“Surgiu através do convite de uma amiga minha que vinha em Manaus lançar o livro dela, um livro infantil, e me chamou pra fazer uma exposição fotográfica pra lançar o livro junto com ela. E aí eu comecei a pensar em alguma coisa que tivesse a ver com o livro dela. A princípio eu ia fotografar crianças e eu queria fazer alguma coisa no meio da diversidade. E acabou que migrei pra adultos e foquei nos olhares, né”, explica Dani, que é fotógrafa há 12 anos.

O projeto deu tão certo que em 2017 foi contemplado pelo edital da ManausCult, “Conexões Culturais”. A ideia de expor no Viaduto foi para democratizar a arte e deixá-la mais acessível para as pessoas que passam na rua, segundo a artista.

Retratar a vida de cada pessoa por meio de um olhar foi um desafio constante no processo de construção da exposição de Dani Cruz.

(Foto: Michell Melo)

“Às vezes, não conseguimos compreender o ‘outro’ através do olhar, muitas vezes porque estamos julgando a pessoa pelo o que veste, pelo o que ela usa ou ouve, e com isso esquecemos totalmente que do outro lado está um ser humano que ri, que chora, que acerta e que erra que nem todos nós”, reflete Dani Cruz.

As histórias mais marcantes para a fotógrafa vão estar disponíveis no perfil do Instagram da exposição @olharqueteolha. “Lá vou disponibilizar trechos das conversas que fiz para o documentário, fotos, e os relatos mais sinceros das pessoas que participaram”, revela.

Sobre a fotógrafa

A fotógrafa Dani Cruz, nascida e residente na cidade de Manaus, vem fotografando profissionalmente há 12 anos, vivendo exclusivamente do seu trabalho. Conhecida na cidade por fotografar mulheres grávidas e seus bebês. Há alguns anos vem desenvolvendo trabalhos autorais, na sua grande maioria retratando pessoas interagindo com os ambientes.

Ao longo destes anos, a fotógrafa já entregou mais de mil álbuns impressos para clientes nacionais e internacionais; fez várias capas de revistas e realizou exposições individuais e participou de algumas exposições coletivas.

Roda de Conversa

Nesta terça-feira (25), às 14h30, no Palacete Provincial, acontece a roda de conversa sobre os desafios de produção versus processos criativos e a exibição do documentário feito pela Dani, onde as pessoas fotografadas revelam à fotógrafa os medos, sonhos, alegrias, e julgamentos que já receberam ao longo da vida.

A entrada é gratuita e o evento acontece também no sábado (29), às 10h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui