Empresas de internet prometem melhorar serviços

0
96

Empresas fornecedoras de internet banda larga fixa e móvel (3G e 4G) se comprometeram a melhorar a qualidade do serviço nos municípios do interior do Amazonas. O compromisso foi firmado na segunda-feira (20), durante audiência pública promovida pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/Aleam).

(Foto: Mauro Smith)

Para oficializar o comprometimento, o presidente da CDC/Aleam, deputado estadual João Luiz (PRB), solicitou que as empresas assinem um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com previsão para ser efetivado no próximo dia 10 de junho, na sede do órgão legislativo.

“Sabemos que nosso serviço é essencial para a população e a nossa intenção é que nossos clientes tenham acesso a um bom serviço, por isso trabalhamos e investimos para levar qualidade nos serviços ofertados nas cidades do interior do Amazonas”, afirmou o gerente de operações do grupo NET – Embratel e Claro, Fernando Gerhardt.

João Luiz defende que os municípios do interior do Estado precisam da internet para se desenvolver e vai lutar pela melhoria do serviço ofertado para toda a população do Estado.

“Visitei muitos municípios do Amazonas e a principal reclamação dos moradores de cada lugar em que passei é a mesma: a internet não funciona. Uma cidade, hoje, não consegue se desenvolver se não tem internet. Diante dessa situação resolvi chamar as empresas para que elas busquem solução para este problema, que afeta as pessoas e o desenvolvimento das cidades”, pontua.

O vereador do município de Itamarati, Antônio Francisco, pensa da mesma maneira que o deputado estadual e afirma que a desigualdade digital afeta o desenvolvimento social da população que reside em lugares mais longínquos do Amazonas.

“Nossos jovens não conseguem qualificação à distância porque somos isolados do restante do Brasil e do mundo. Não temos sequer internet. Estou participando da audiência, pois acredito que juntos podemos mudar a realidade das cidades do nosso Amazonas”, afirma.

Participaram da audiência pública as empresas fornecedoras de serviços de banda larga fixa e móvel (3G e 4G), TIM, NET/Claro, Vivo e Embratel, além dos órgãos estadual e municipal de defesa do consumidor do Amazonas, como a Defensoria Pública do Estado do Amazonas, Tribunal de Contas da União, Delegacia do Consumidor (Decon), Delegacia Especializada em Combate a Furtos de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos do Consumidor (Prodecon), Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Manaus e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Qualidade da internet

Segundo dados do site “Minha Conexão”, que realiza testes e medições de qualidade do acesso de internet nas capitais brasileiras, Manaus está na 26ª colocação no quesito velocidade de internet móvel (3G e 4G), com a média de 5.6 Mbps, ficando apenas na frente de Boa Vista/RR.

“Conforme ranking e dados estatísticos das fontes acima apresentadas, as fornecedoras de internet no Estado do Amazonas tem consistentemente prestado serviços de fornecimento de dados abaixo dos índices técnicos da Anatel. Isso tem de ser revisto, pois o consumidor está sendo enganado e, como presidente da CDC da Aleam, vou exigir o direito de quem paga caro por um serviço de péssima qualidade”, pontuou João Luiz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui