Falsos números sobre Zona Franca fazem Guedes ser chamado de ‘mentiroso’

187
Os senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Plínio Valério (PSDB-AM) na Comissão de Assuntos Econômicos - Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi chamado de mentiroso durante encontro da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, nesta terça-feira (7). Após supostamente inventar números a respeito da Zona Franca de Manaus, senadores do Amazonas devem fazer um requerimento para questionar o economista.

O requerimento será enviado pelos senadores Omar Aziz (PSD-AM), Plínio Valério (PSDB-AM) e Eduardo Braga (MDB-AM). O documento vai pedir de Guedes informações sobre de onde partiram os dados que embasaram sua afirmação, de que a decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) causará um rombo de R$ 16 bilhões aos cofres públicos.

A decisão do STF permitiu que empresas não instaladas na Zona Franca, ao comprar insumos no Polo de Manaus, possam abater, dos impostos devidos, o valor referente ao crédito do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) não pago na aquisição dos materiais.

O senador Omar Aziz reclamou do fato de o ministro apresentar constantemente números divergentes sobre diferentes setores econômicos, inclusive relativos à reforma da Previdência. Para o senador, o representante do Executivo divulga dados sem ter certeza.

“A pessoa mente e, como o que ele diz tem visibilidade nacional, a mentira vira verdade. Só que número não se erra. Dez vai ser sempre dez. Vinte vai ser sempre 20 (…) O ministro Paulo Guedes brinca de falar em números. Ele fala de desoneração de R$ 16 bilhões, depois de R$ 20, depois de R$ 40. Ele não tem os números, ele ouve dizer (…) Quando ele se posiciona, ele mente. A palavra é muito pesada, mas temos que dar um basta nas mentiras, pois o espaço que ele tem na mídia nacional nenhum de nós temos para contestá-lo”, afirmou.

O senador Plínio Valério também pediu em Plenário, nesta terça (7), esclarecimentos de Paulo Guedes. Ele lamentou a falta de conhecimento do ministro em relação aos incentivos. Suas declarações, segundo ele, prejudicam o modelo “que preserva a floresta em pé, e gera empregos na região Norte, além de receitas para o país”.

Tratam a Zona Franca de Manaus como se fosse o único programa econômico a utilizar incentivos fiscais. A renúncia fiscal tem um número de 100%. São R$ 284 bilhões, que são 100%. A Zona Franca leva R$ 24 bilhões, que dá 8%. Cadê os 92%? Sabem onde eles estão? Na indústria automobilística, que desde a década de 1960 tem subsídio e foi incapaz de criar, de montar, um automóvel nacional. Sabem onde estão esses subsídios? No BNDES [Banco Nacional do Desenvolvimento]”, criticou.

Foto: Carl de Souza/AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui