H1N1: AM está em 1º no Vacinômetro, diz Ministério da Saúde

0
124
Com antecipação das vacinas, Amazonas está em 1º lugar no vacinômetro da H1N1.
O Amazonas está próximo de alcançar a meta de 90% de vacinação contra a Influenza A (H1N1) dos grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS). Desde o início da campanha, no dia 20 de março, 977.465 pessoas foram imunizadas, o que representa 86% da cobertura vacinal, de acordo com o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI). O estado está em primeiro lugar no “vacinômetro” se comparado às demais unidades federativas.
 
Enquanto nos outros estados a campanha iniciou no mês de abril, o Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus solicitaram ao MS a antecipação para o mês de março, devido ao aumento dos casos de gripe H1N1.
Segundo o secretário estadual de saúde, Rodrigo Tobias, a expectativa é que o Amazonas terá alcançado a meta de 90% de vacinação contra H1N1 até o dia 31 de maio, quando finaliza a campanha em todo o Brasil.
Os dados do SI-PNI apresentam que 15 municípios do Amazonas já ultrapassaram a meta dos 90%. No início de abril, Manaus encerrou a campanha de vacinação ao alcançar 101% do grupo prioritário com mais de 463 mil doses aplicadas.
 
Além da capital amazonense, os municípios de Amaturá (115,4%), Atalaia do Norte (97,3%), Autazes (92,6%), Barreirinha (114,6%), Careiro (91,9%), Iranduba (106,3%), Japurá (97,6%), Nhamundá (92,4%), São Sebastião do Uatumã (97,1%), Silves (107,5%), Tabatinga (94,8%), Tefé (101,6%), Uarini (100,5%) e Urucurituba (90,6%) também ultrapassaram a estimativa.
 
A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, disse que todas as atenções agora se voltam para aqueles municípios que ainda não alcançaram a meta. Conforme os dados do SI-PNI, sete municípios estão com menos de 50% da cobertura: Barcelos (26,6%), Boca do Acre (32,7%), Ipixuna (24,4%), Manicoré (40,6%), Novo Airão (49%), Novo Aripuanã (43,8%) e Pauini (45,4%).
 
“Vamos intensificar a campanha nesses municípios, principalmente nas gestantes e crianças de seis meses a menores de seis anos. Entramos agora na fase de vacinação dos militares e da segunda dose apenas nas crianças que tomaram, pela primeira vez, a vacina contra influenza”, contou Rosemary Costa Pinto, ao ressaltar que os municípios são os responsáveis pela vacinação de suas populações.
 
“Estamos especialmente preocupados com esses municípios. A FVS está tendo o apoio da SEA Interior no sentido de sensibilizá-los”, expôs a diretora-presidente da FVS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui