Codam aprova 41 projetos industrial para Zona Franca com geração de mais de 1,4 mil empregos

0
109

A 278ª reunião Conselho de Desenvolvimento do amazonas (Codam) nesta quarta-feira (27) aprovou na íntegra pauta com 41 projetos industriais, com investimentos acima de R$ 1 bilhão para a Zona Franca de Manaus. A estimativa é que os projetos abram 1.499 vagas no mercado de trabalho ao longo de três anos.

Componentes plásticos, equipamento multimídia para internet e carregadores de bateria para telefone celular sãos alguns dos produtos em destaque na pauta da reunião. Os projetos de diversificação de linhas de produção já existentes chegam a R$ 591 milhões, enquanto os de atualização somam cerca de R$ 367 milhões.

O Codam é a instância responsável pela aplicação da política de incentivo fiscais do Estado. É composto por 18 conselheiros, entre os quais representantes de entidades de classe como Federação das Indústrias do Amazonas (Fieam), Suframa, Prefeitura de Manaus, e órgãos de fomento e pesquisa, como Sefaz, Afeam e Fapeam.

Balanço

A última reunião do Codam foi realizada em 13 de dezembro de 2018, na Fieam. Em seis reuniões realizados no ano passado, foi apurado um volume de R$ 7,649 bilhões em investimentos captados pelo Amazonas, com a aprovação de 165 projetos industriais. A mão de obra estimada, a partir da implantação dos projetos aprovados, foi estimada em 6.709 vagas no mercado de trabalho em até três anos.

Soluções para a Zona Franca

Além da aprovação de projetos, Governo do Estado, Suframa e entidades de classe fecharam uma frente de articulação para a solução de alguns dos principais obstáculos ao fortalecimento da Zona Franca de Manaus (ZFM): o destravamento na liberação de Processos Produtivos Básicos (PPBs), as etapas de industrialização para empresas incentivadas instaladas em Manaus, e a recuperação da malha viária do Distrito Industrial.

Participando pela primeira vez de um encontro do Codam, o superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes, assegurou que obteve do Governo Federal carta branca para implementar as soluções que forem necessárias para acelerar a aprovação dos PPBs, definida por um conjunto de órgãos interministeriais.

Antiga reivindicação das empresas locais, a liberação para que algum produto seja fabricado em Manaus pode demorar meses ou até anos quando, por lei, deveria ser feita em até 120 dias.

A recuperação das ruas do Distrito Industrial, outro antigo problema para quem circula naquela região, acontecerá ainda neste ano, segundo o superintendente.

O secretário de Estado de Planejamento, Jório Veiga, disse que o Governo estará engajado com as entidades de classe, Suframa e bancada parlamentar em Brasília para remover os obstáculos ao crescimento da ZFM. Lembrou também que, paralelo a essas ações, um plano de expansão das atividades econômicas do estado está em articulação, amparado na diversificação, que inclui mineração e bioeconomia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui